Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Incêndio em Londres: jornal “The Sun” conta 65 desaparecidos

Getty

Pelo menos 65 residentes na torre que ardeu por completo na madrugada de quarta-feira continuam desaparecidos. Polícia já veio dizer que não deverá ser possível identificar todos aqueles que perderam a vida

Numa altura em que a polícia já veio dizer que, muito provavelmente, não será possível identificar todos aqueles que perderam a vida no incêndio que consumiu por completo uma torre de habitação na capital britânica, somam e seguem o número de cartazes improvisados, afixados em Londres, bem como nas redes sociais, dando conta de residentes que continuam desaparecidos.

O jornal “The Sun” compilou esta informação e na edição desta sexta-feira contabiliza 65 desaparecidos, dando a entender que os números avançados pelas autoridades britânicas estão muito longe da real dimensão da tragédia. Até agora, a polícia confirmou a morte de 17 pessoas, tendo reconhecido que o número de vítimas deverá aumentar.

A divulgação a conta-gotas do número de vítimas está a deixar muitos britânicos profundamente incomodados, manifestando a sua indignação através das redes sociais.

Entre o coro de protesto, destacou-se esta manhã a voz da cantora Lily Allen, que em entrevista à Channel 4 News acusou as autoridades de estarem a “microgerir a dor das pessoas”, depois de terem sido conhecidos números, não confirmados, que apontavam para mais de 150 mortos.

“Nunca vi, em toda a minha vida, um acontecimento como este, onde os principais órgãos de comunicação social tratam de minimizar o número de vítimas”, disse Lily Allen à Channel 4 News.