Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Sanções impostas ao Qatar são “desumanas” e “contrárias aos valores islâmicos”, diz Erdogan

ADEM ALTAN/GETTY IMAGES

Presidente turco irá discutir “nos próximos dias” a situação do Qatar com o Presidente dos EUA, Donald Trump

Helena Bento

Jornalista

“Está a ser cometido um erro muito grave no Qatar”, disse esta terça-feira o Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, classificando as sanções impostas recentemente ao país como “desumanas” e “contrárias aos valores islâmicos”.

No dia 5 de junho, a Arábia Saudita, os Emirados Árabes Unidos e o Bahrein - países vizinhos do Qatar - assim como Egito e o Iémen, anunciaram o corte de relações diplomáticas e a suspensão de ligações aéreas e marítimas com Doha, capital do Qatar, acusando o país de apoiar o terrorismo. Os três países do Golfo também fecharam as suas fronteiras terrestres e marítimas com o pequeno emirado e impuseram restrições à companhia aérea nacional.

Para Erdogan, porém, a acusação de ligações ao terrorismo não tem fundamento, uma vez que o Qatar, disse o Presidente turco, “adotou a postura mais firme contra o Estado Islâmico, lado a lado com a Turquia”. “As campanhas de difamação contra o Qatar não servem nenhum propósito. Parem com este jogo de demagogos”, disse Erdogan, que falava em Ancara aos membros do seu partido, o AKP (Partido da Justiça e do Desenvolvimento), e cujo discurso foi transmitido pela televisão turca. O Presidente turco irá discutir “nos próximos dias” a situação do Qatar com o Presidente dos EUA, Donald Trump, confirmou Mevlüt Cavusoglu, chefe da diplomacia turca, também esta terça-feira.

Turquia e Qatar mantêm relações comerciais importantes. Quando foram anunciadas as sanções, que afetaram a importação de alimentos e outros produtos (o Qatar importava, até agora, 80% dos seus alimentos a partir de alguns dos seus vizinhos no Golfo) e o funcionamento de alguns bancos estrangeiros no país, o Presidente turco manifestou o seu apoio ao Qatar, prometendo, inclusive, o fornecimento de comida e cuidados médicos. Erdogan chegou mesmo a pedir à Arábia Saudita e aos outros países para acabarem com as sanções. Na quarta-feira, o parlamento turco aprovou uma lei que permite a colocação de tropas numa base militar turca no Qatar.