Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Dia da Rússia: Líder da oposição detido em protesto nacional contra a corrupção

AXIM ZMEYEV/AFP/Getty Images

Alexei Navalny foi detido por ter convocado, no Dia da Rússia, a população a sair à rua contra a corrupção. Cerca de 200 cidades russas manifestaram-se na segunda-feira e milhares de pessoas foram detidas

Em casa, antes da manifestação agendada para esta segunda-feira em Moscovo, o líder da oposição Alexei Navalny foi detido, noticia a BBC. Navalny alterara na noite de domingo o local do protesto na capital russa, inicialmente previsto para perto da Câmara Municipal, para a rua Tverskaya, local escolhido para as comemorações pelo Dia da Rússia.

A mudança foi considerada uma provocação por parte das autoridades russas, que tinham avisado que “qualquer tentativa de realizar um ato não autorizado na rua Tverskaya seria considerada ilegal e as forças de ordem teriam que tomar as medidas necessárias”.

As autoridades recorreram a gás lacrimogénio para dispersar a multidão e milhares de pessoas foram detidas durante as manifestações que ocorreram em cerca de 200 cidades russas - incluindo o líder opositor de 41 anos, que quer candidatar-se à Presidência do país no próximo ano. Navalny, que ficará detido durante 30 dias, acusou o juiz de ter ajudado a polícia a escrever a justificação para a sua detenção, desafiando-o com palavras de apoio aos manifestantes. “Estou muito satisfeito que as pessoas tenham saído à rua, estou orgulhoso por fazer parte deste movimento no qual pessoas corajosas e maravilhosas não têm medo de sair às ruas. Mesmo sob a ameaça das detenções”, disse, citado pela CNN.

Segundo a Organização Não-Governamental (ONG) independente OVD-Info, 1.400 pessoas foram detidas na capital (825) e em São Petersburgo (548). Números bastante diferentes daqueles que foram avançados pelo Ministério da Administração Interna: 150 em Moscovo e 500 em São Petersburgo.

“Putin, ladrão!” e “A Rússia será livre” foram algumas das frases proclamadas pelos manifestantes durante os protestos convocados para o Dia da Rússia, contra a corrupção. “Quero mudanças. Quero viver num Estado moderno e democrático e quero os nossos impostos convertidos em estradas, escolas e hospitais, não em iates, palácios e propriedades”, declarou Navalny no vídeo de convocação dos protestos.

A Casa Branca já condenou as detenções. Numa crítica pouco comum a Moscovo, o Governo de Donald Trump apelou à Rússia para libertar os manifestantes. “O povo russo merece um Governo que apoie as ideias de livre mercado, um governo transparente e responsável, tratamento igualitário sob a lei e capacidade de exercer seus direitos sem medo de represálias.”