Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Marine le Pen fala em abstenção catastrófica

Thierry Chesnot / Getty Images

Prolongando a tendência dos últimos atos eleitorais, a abstenção subir na primeira volta das legislativas franceses e tudo indica que pela primeira vez vá passar a barreira dos 50%

Com a contagem dos votos da primeira volta das legislativas francesas a decorrer, parece confirmar-se uma abstenção sem precedentes da ordem dos 50,2% que podem elevar-se aos 51%.

Um valor que levou a líder da Frente Nacional num primeiro comentário aos resultados a falar numa “abstenção catastrófica” que seria fruto da “incapacidade de Macron em mobilizar os franceses”.

É verdade que o sistema a duas voltas distorce o voto popular, sobretudo no caso da Frente Nacional que, com uma votação da ordem dos 15% em 2012, apenas elegeu dois deputados. Contudo, não é menos verdade que as projeções dos resultados deste domingo são dececionantes, como aliás reconheceu o n.º 2 do partido Florien Philippot: representam o retorno aos níveis de votação de 2012, muito abaixo dos 21,3% obtidos por Le Pen na primeira volta das presidenciais.

Do lado do PS, o seu secretário-geral Jean-Christophe Cambadélis reconhecendo embora “maus resultados sem precedentes” do partido, declarou que em eventuais disputas triangulares ou quadrangulares os seus candidatos só desistirão à segunda volta nos círculos onde haja risco de uma eventual vitória da FN. Em todos os outros casos “manter-se-ão e defenderão o seu programa e os valores da esquerda”.