Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Trump pronto para testemunhar sobre polémica com ex-diretor do FBI

JONATHAN ERNST / REUTERS

Numa conferência de imprensa, na Casa Branca, o Presidente norte-americano disse que estava prontos “a 100%” para testemunhar sob juramento e negou ter mandado o ex-diretor do FBI James Comey abandonar o inquérito à alegada ingerência da Rússia nas eleições presidenciais

O Presidente dos Estados Unidos disse esta sexta-feira estar pronto "a 100%" para testemunhar sob juramento e negou ter mandado o ex-diretor do FBI James Comey abandonar o inquérito sobre o ex-conselheiro de segurança nacional Michael Fynn.

"James Comey confirmou muitas coisas que eu tinha dito e algumas outras que não são verdade", afirmou Donald Trump numa conferência de imprensa, na Casa Branca, ao lado do Presidente romeno, Klaus Iohannis.

Porém, Trump recusou-se a dizer se as suas conversas com o ex-diretor do FBI foram gravadas, garantindo que "num futuro próximo" falará sobre o assunto.

Trump insistiu que em nenhum relato de Comey, no Senado, ficou provado ter havido obstrução à justiça por parte do Presidente ou conluio com a Rússia.

"Ele [Comey] é um delator. Não mostrou nenhum conluio, nem obstrução", afirmou Trump, insistindo que nunca tinha pedido "lealdade" ao diretor do FBI, que demitiu a 9 de maio.

Na sua audição na câmara alta do Congresso, o ex-diretor do FBI declarou que o Presidente o despediu com o objetivo de interferir na investigação sobre a alegada ingerência da Rússia nas presidenciais de 2016 e respetivas ligações à campanha de Trump.

"No meu entender, fui despedido por causa da investigação sobre a Rússia. Fui despedido para, de alguma forma, alterar - ou o objetivo era o de alterar – a forma como a investigação estava a ser conduzida", disse Comey sob juramento.

Na quarta-feira, numa declaração escrita enviada ao Congresso, James Comey tinha adiantado que Donald Trump lhe sugeriu que abandonasse a investigação a Michael Flynn, ex-conselheiro envolvido no caso da alegada ingerência russa nas presidenciais.

O antigo diretor do FBI também confirmou que esteve por detrás das fugas de informação sobre as suas conversas a sós com Trump, referindo que pediu a um amigo que as passasse à imprensa.

  • Juro que a Casa Branca escolheu difamar-me

    Ex-diretor do FBI, afastado recentemente do cargo por Donald Trump, contou a sua verdade num depoimento público no Senado dos EUA. Comey não tem dúvidas de que o governo russo tentou mesmo influenciar as eleições norte-americanas

  • Comey: “Fiz o que tinha de fazer”

    Antigo diretor do FBI continua a ser interrogado no Senado. Por duas vezes, James Comey recusou responder a questões sobre o alegado envolvimento de Donald Trump e de membros da sua campanha eleitoral sobre o envolvimento com os russos