Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Corbyn: “A política mudou e não vai voltar para a caixa onde estava”

DARREN STAPLES/Reuters

Após ter sido reeleito deputado, Jeremy Corbyn desafiou Theresa May a deixar o cargo de primeira-ministra, dando lugar a um Governo trabalhista, que seria “representativo das pessoas deste país”

O desafio foi lançado. Jeremy Corbyn convidou Theresa May a afastar-se da liderança do Governo para dar lugar a um Executivo trabalhista. Esta sexta-feira de madrugada, após ter sido reeleito como deputado pelo círculo de Islington, o líder do Labour defendeu que o resultado eleitoral desta noite deveria ser o suficiente para May se afastar.

“A primeira-ministra convocou as eleições porque ela queria um mandato. Mas o mandato que tem é perda de assentos parlamentares, de votos, de apoio e de confiança”, disse Corbyn aos jornalistas. “Penso que é suficiente para se ir embora e dar lugar a um governo que seja representativo das pessoas deste país”, acrescentou.

Apesar de cauteloso, pois ainda não se conhecia todos os resultados, o trabalhista garantiu que a eleição desta quinta-feira é histórica, tendo sido reeleito pela nona vez com mais de 40 mil votos no círculo eleitoral de Islington North. Este é o maior número de votos alguma vez obtido por um candidato neste círculo eleitoral e a participação a mais elevada desde 1951.

“A política mudou e não vai voltar para a caixa onde estava. As pessoas disseram que estão fartas da austeridade, dos cortes nos serviços públicos”, referiu.

E, no final, Corbyn deixou a garantia de que, independentemente dos resultados, os trabalhistas vão “fazer de tudo para assegurar que o que dissemos nesta campanha e está no nosso programa eleitoral é apresentado ao parlamento”.