Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Britânicos já estão a ir às urnas com os principais partidos à procura do número mágico: 326

Matt Cardy

Quase 47 milhões de pessoas estão registadas para votar nestas eleições antecipadas. Urnas fecham às 22h locais, altura em que começa a contagem dos votos. Resultados finais são esperados no início da tarde de sexta-feira

As urnas abriram no Reino Unido às 7h da manhã desta quinta-feira, com mais de 40 mil estações de voto espalhadas pelo país para as eleições legislativas que a primeira-ministra, Theresa May, decidiu antecipar para esta quinta-feira. Ao longo do dia, até às 22h, cerca de 46,9 milhões de britânicos são chamados a escolher o seu futuro governo, praticamente um ano depois do referendo sobre a saída da União Europeia, que deu a vitória ao Brexit com uma curta margem.

Desde que May convocou as eleições em abril, as atenções e o debate público deixaram de estar focados apenas nesse assunto; depois de um ataque no final de um concerto em Manchester, no qual 22 pessoas morreram e 75 ficaram feridas, Londres também foi palco de um atentado no passado sábado que culminou em oito mortos e 48 feridos.

Ambos foram reivindicados pelo autoproclamado Estado Islâmico (Daesh) e relançaram um debate nacional sobre terrorismo e segurança — que anteontem, no encerramento das campanhas, viu a primeira-ministra defender: "Se as leis de proteção dos Direitos Humanos estiverem no caminho do combate ao extremismo e ao terrorismo, vamos mudar essas leis para manter o povo britânico seguro."

Os eleitores vão escolher os próximos 650 deputados de Westminster pela segunda vez em dois anos; em 2015, nas últimas legislativas que deram a vitória a David Cameron com o eleitorado já de olhos postos na renegociação do estatuto do Reino Unido na UE, havia 46,4 milhões de pessoas registadas para votar. Antes da abertura das urnas esta manhã, cerca de 16,4% do eleitorado já tinha sido chamado a votar por correspondência.

Há dois anos, quando o Partido Conservador venceu 331 dos 650 assentos, a participação eleitoral estacionou nos 66,4%, um número de poderá subir esta quinta-feira dada a importância deste plebiscito para o futuro do Reino Unido. Para garantir a maioria na Câmara dos Comuns e poder formar governo sem precisar de formar coligações, um partido precisa de garantir um mínimo de 326 assentos no parlamento.

Em 2015, a maioria conservadora só foi confirmada pelas 13h30 do dia seguinte às eleições. Desta vez, os primeiros assentos deverão ser declarados à meia-noite, esperando-se que o anúncio dos resultados finais aconteça na sexta-feira à tarde.

As mais recentes sondagens de intenção de voto colocam o Partido Trabalhista a apenas um ponto percentual dos Conservadores ao leme de May, valores que estão dentro da margem de erro. Em abril, quando a chefe do governo decidiu antecipar as eleições para este mês, os Tories detinham um avanço de 42 pontos sobre o principal partido da oposição. Alguns analistas também estão a antecipar surpresas com os Liberais Democratas, cujos apoios foram diminuindo nas últimas semanas mas que poderão captar parte dos eleitores que estão descontentes com o governo de May e também com a liderança de Jeremy Corbyn.