Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Trump anuncia o novo diretor do FBI

REUTERS

A escolha recaiu no advogado Christopher Wray, antigo assessor do procurador-geral durante o mandato de George W. Bush

Donald Trump já escolheu o novo diretor do FBI. O nomeado é o advogado Christopher Wray, que já trabalhou para o departamento de Justiça norte-americano.

Wray foi assessor do Procurador-geral, durante o mandato de George W. Bush, entre 2003 e 2005.

Através do Twitter, esta quarta-feira, Trump justificou a sua escolha, considerando que Christopher A. Wray é “um homem com credenciais perfeitas”, para o novo cargo. O Presidente prometeu “mais detalhes” em breve.

Segundo a biografia disponibilizada pelo escritório King and Spalding, de que Wray é parceiro, o advogado "desempenhou um papel chave na supervisão de ações legais e operacionais na luta contra o terrorismo", segundo a mesma nota biográfica.

O anúncio de Trump ocorre na véspera da muito aguardada audição de James Comey no Comité dos Serviços de Inteligência do Senado (câmara alta do Congresso norte-americano), que está a investigar a alegada ingerência russa nas eleições presidenciais norte-americanas de 2016.

Na audição de quinta-feira, que terá uma parte pública, é expectável que James Comey seja questionado sobre um presumível conluio entre os membros da equipa da campanha presidencial de Donald Trump e as autoridades russas.

O início da audição está previsto para as 10h locais (15h em Lisboa). Esta audição será seguida de uma outra audição, à porta fechada, diante dos 15 membros republicanos e democratas que compõem o comité, que estão abrangidos pelo dever de sigilo.

Comey foi demitido de forma repentina, a 9 de maio, numa altura em que estava a supervisionar uma investigação sobre os alegados contactos mantidos entre a campanha de Trump e a Rússia durante a corrida às presidenciais nos Estados Unidos.

O antigo diretor, que não prestou declarações públicas desde a sua demissão, será igualmente questionado pelos legisladores norte-americanos se Trump exerceu algum tipo de pressão sobre o FBI e a investigação sobre a Rússia.

Trump nega qualquer interferência, bem como rejeita a ideia de um conluio com Moscovo.

Foi nomeado, entretanto, o ex-diretor do FBI Robert Mueller como procurador especial para supervisionar a investigação sobre a alegada interferência russa.

Questionado sobre a audição de James Comey, Trump respondeu: "Desejo-lhe boa sorte".