Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Myanmar: avistados no mar destroços do avião militar desaparecido com 120 pessoas a bordo

O aparelho que se despenhou no Mar de Andaman era um Shaanxi Y-8 idêntico ao desta imagem

MYANMAR MILITARY NEWS / EPA

Notícia é avançada pela agência France Press, que cita uma fonte da Força Aérea da antiga Birmânia. Esperança de encontrar sobreviventes é muito remota

Já foram avistados os primeiros destroços do avião militar de Myanmar que estava desaparecido quando voava entre Yangon e Myeik. Citado pela AFP, Naing Lin Zaw, um responsável militar da Força Aérea da antiga Birmânia, adiantou que os destroços foram localizados no mar, a cerca de 218 quilómetros da cidade de Dawei (sudeste do país).

"A comunicação foi perdida de repente às 13h35 [7h05 em Lisboa] quando o aparelho estava a cerca de 20 milhas (32 quilómetros) a oeste da cidade de Dawei", tinha avançado anteriormente o exército birmanês, em comunicado.

A bordo do avião seguiam 104 passageiros e 14 tripulantes, precisou o general Myat Min Oo, porta-voz do Exército birmanês, corrigindo a informação inicial de uma fonte aeroportuária que dava conta da existência de 116 pessoas no aparelho.

Acredita-se que a maioria dos passageiros sejam familiares de militares que estavam destacados numa região litoral de Myanmar.

“Pensamos que foi falha técnica. O clima estava bom”, disse à AFP uma fonte que pediu para não ser identificada.

As operações de socorro estão a decorrer com a ajuda de diversas embarcações militares, tendo os primeiros destroços sido encontrados por um dos navios deslocados para o local, no mar de Andaman.

O avião tinha descolado de Myeik, no sul da Birmânia, e o destino era Rangoun, a capital económica do país, em mais uma das viagens organizadas duas vezes por mês e destinadas aos militares e familiares colocados numa base.

A esperança de encontrar sobreviventes são muito remotas.

Notícia atualizada às 15h51, com a correção do número de pessoas que seguiam a bordo