Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Banksy cancela oferta de serigrafias a quem provasse que votou contra May

Banksy preparou uma nova versão da "Rapariga com balão vermelho", substituindo a cor pela bandeira do Reino Unido, que vai ser lançada no rescaldo das eleições

Peter Macdiarmid

O/a graffiter, que tem conseguido manter a sua identidade oculta, tinha prometido oferecer obras aos britânicos que provassem que votaram noutro partido que não o conservador nas eleições marcadas para quinta-feira. Abertura de investigação pela polícia acabou com o plano

O famoso artista de graffiti Banksy, cuja identidade continua por ser apurada, cancelou o plano de oferecer serigrafias a quem provasse que votou contra o Partido Conservador nas legislativas antecipadas que vão decorrer amanhã, quinta-feira, no Reino Unido.

Há alguns dias, o graffiter tinha publicado o anúncio no seu site, prometendo oferecer versões de uma pintura inédita e de edição limitada aos britânicos que votam nos seis círculos eleitorais de Bristol e que optassem por partidos que não aquele que está no poder, ao leme da primeira-ministra Theresa May.

A peça de arte é uma variação da já famosa pintura “rapariga com um balão vermelho”, na qual a bandeira do Reino Unido é substituída por um coração vermelho, e o lançamento oficial está marcado para 9 de junho, próxima sexta-feira, no rescaldo das eleições.

“Enviem simplesmente uma fotografia do vosso boletim de voto nas urnas a mostrar que votaram contra os Conservadores no poder e esta oferta ser-vos-á enviada por correio”, lia-se no comunicado publicado no site oficial de Banksy no domingo. “Esta serigrafia é um souvenir do material de campanha, [a sua oferta] não pretende influenciar as escolhas do eleitorado nem tem valor monetário, serve apenas propósitos de entretenimento e não é de forma alguma para revenda. Seguem-se os termos e condições [para as candidaturas]; o preço do envio postal não está incluído.”

Esta quarta-feira, contudo, uma nova mensagem recebia os internautas que visitam o site de Banksy. “Fui avisado pela Comissão Eleitoral de que a oferta gratuita de serigrafias vai invalidar os resultados eleitorais”, lê-se na homepage. “Por esse motivo, lamento anunciar que esta promoção mal-concebida e legalmente dúbia acabou de ser cancelada.”

Citado pelo “Independent”, um porta-voz do departamento da polícia de Avon e Somerset explicou que foi aberta uma investigação à oferta de Banksy perante “uma série de queixas” de eleitores, o que deverá explicar a decisão do artista de rua anónimo em cancelar os planos.

“É uma ofensa criminal sob a Lei de Representação do Povo de 1983 que qualquer eleitor aceite ou concorde em aceitar um presente ou similiares em troca de votos ou da ausência de votos. Qualquer pessoa que participe nesta oferta para receber um presente corre o risco de ser criminalmente julgada.”

A Comissão Eleitoral, que supervisiona os plebiscitos no Reino Unido, define como suborno no âmbito de eleições o ato de “alguém, direta ou indiretamente, oferecer dinheiro a qualquer eleitor, para induzir qualquer eleitor a votar ou a não votar”, uma ofensa eleitoral punível por lei.