Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Enganou-se, desligou a energia e deixou 75 mil passageiros da British Airways em terra

DANIEL LEAL-OLIVAS/GETTY

Um erro de um funcionário que levava a cabo a manutenção da base de dados deverá ter estado na origem do problema que cancelou todos os voos da companhia britânica que deveriam ter partido no último sábado dos aeroportos londrinos de Heathrow e Gatwick

A investigação em curso sobre a falha no sistema informático da British Airways – que originou o cancelamento de todos os voos da companhia que deveriam ter partido, no sábado passado, dos aeroportos londrinos de Heathrow e Gatwick – aponta para falha humana, segundo indicou ao “The Times” uma fonte da companhia aérea.

A informação que circula, segundo esta fonte, é que um funcionário que se encontrava a efetuar uma operação de manutenção da base de dados terá inadvertidamente desligado o fornecimento de energia, deitando abaixo todos os sistemas informáticos da British. A inicial falha de energia levou a que inadvertidamente o sistema tenha entrado em reboot e mandado abaixo toda a base de dados.

Devido à perda de toda a informação sobre voos, bagagens e passageiros, 700 voos foram cancelados e 75 mil passageiros ficaram em terra.

O responsável pelos sistemas de tecnologias de informação da companhia, Bill Francis, mandou um email aos seus funcionários confirmando que a falha do sistema não foi devida a um problema de software ou de hardware. A fonte da energia ininterrupta do centro do sistema da base de dados em Heathrow foi anulada no sábado de manhã, segundo indicou no email, divulgado pela Press Association,

A British poderá exigir uma investigação externa ao problema, que deverá implicar o pagamento de mais de 100 milhões de Libtas (mais de 115 milhões de euros) em indemnizações.

Entretanto, a companhia está a ser criticada por não prometer compensação total aos afetados e por ter dado instruções aos passageiros para começarem por tentar obter compensação através dos respetivos seguros de viagem.