Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Ouvidos tiros e explosões em complexo turístico nas Filipinas, Daesh reivindica

EZRA ACAYAN/REUTERS

A polícia filipina diz contudo que ainda é prematuro concluir que se tratou de um ataque terrorista: “O Daesh pode reclamar o que quiser em nome da propaganda”

Um hotel em Manila, nas Filipinas, foi alvo esta quinta-feira de um tiroteio e explosões. O Daesh reivindicou o ataque, no entanto a polícia descarta para já a hipótese de terrorismo.

As informações são também contraditórias. Segundo a Cruz Vermelha de Manila, pelo menos 25 pessoas ficaram feridas e foram transportadas para vários hospitais, mas a polícia não avança a existência de vítimas.

Peritos deste centro norte-americano informaram numa mensagem na rede de microblogues Twitter que um porta-voz jiadista tinha atribuído "o ataque" aos "lobos solitários do califado". As autoridades dizem, contudo, que ainda é cedo para concluir que se tratou de um ataque terrorista. O diretor-geral da polícia filipina, Ronald dela Rosa, disse à DZMM TeleRadyo que poderá estar em causa uma tentativa de assalto. “O Daesh pode reclamar o que quiser em nome da propaganda”, afirmou o responsável.

Segundo a CNN, um indivíduo encapuzado invadiu por volta da 1h30 locais (18h30 em Lisboa) o segundo andar do Resort World Manila, disparando contra turistas e funcionários do hotel. Outros meios de comunicação locais referem que eram vários os atacantes.

No Twitter, o hotel refere que se encontra encerrado, devido ao ataque que ainda está a decorrer. “Estamos a trabalhar de forma próxima com a polícia filipina para assegurar que todos os hóspedes e funcionários estão seguros. Apelamos às vossas orações nestes tempos difíceis.”

Testemunhas citadas pela agência noticiosa Efe disseram que bombeiros e ambulâncias encontram-se no local, às 19h30 de Lisboa, onde é visível uma coluna de fumo, segundo fonte citada pelo diário “Inquirer”.

Fonte de um dos hotéis do complexo turístico disse à Reuters que a unidade hoteleira foi rapidamente evacuada.

No local encontram-se várias viaturas da polícia e ambulâncias. O complexo turístico – que fica perto do aeroporto de Manila – conta com um centro comercial, um casino e várias unidades hoteleiras que são frequentadas maioritariamente por turistas estrangeiros.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros (no portal das comunidades) classifica de "instáveis" as condições de segurança nas Filipinas. "O viajante deverá manter-se vigilante nas Filipinas atendendo a criminalidade decorrente da pobreza e de atentados perpetrados por extremistas e grupos organizados", pode ler-se na última recomendação do Governo português feita a 18 de fevereiro de 2015.

Na semana passada, o Presidente filipino, Rodrigo Duterte, decidiu instaurar a lei marcial na região de Mindanao, após militantes islamitas terem cercado uma das maiores cidades do país.

(em desenvolvimento)