Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Obama: EUA estão a “rejeitar o futuro”

Num raro comunicado, o antigo Presidente, que assinou o Acordo de Paris há cerca de um ano, criticou a decisão de Donald Trump

Desde que deixou a presidência dos Estados Unidos da América, Barack Obama pouco ou nada tem comentado sobre as decisões políticas de Donald Trump. Esta quinta-feira, após o anúncio da saída do país do Acordo de Paris, o ex-Presidente lamentou a decisão e considerou que se trata de uma rejeição do futuro.

“As nações que continuam no Acordo de Paris serão as que vão colher os benefícios da criação de empregos e indústrias. Acredito que os EUA deveriam estar na frente do grupo. Mas mesmo da ausência de liderança norte-americana, mesmo com esta administração a juntar-se ao pequeno grupo de nações que rejeitam o futuro, estou confiante que os nossos estados, cidades e negócios vão destacar-se ainda mais para traçar o caminho e ajudar a proteger o único planeta que temos para as próximas gerações”, referiu Obama em comunicado divulgado pela CNN.

Esta quinta-feira, Donald Trump anunciou que os EUA iriam abandonar o Acordo de Paris, que foi assinado ainda pela antiga administração e sem a consulta do senado. Esta era uma das promessas de campanha do republicano, que considera o documento “altamente injusto”.

Poucos minutos após o anúncio, Obama emitiu um comunicado, em que recordou que há um ano e meio, estava em Paris a negociar um acordo mundial “para proteger o mundo que vamos deixar para os nossos filhos”. Lembra ainda que os empresários “escolheram um futuro de baixas emissões carbono" e que já investiram “em fontes renováveis de energia, como o vento e o Sol”.