Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Macron mantém apoio a ministro acusado de misturar negócios públicos com a vida privada

Richard Ferrand foi responsável pela bem sucedida campanha presidencial de Emmanuel Macron

FRED TANNEAU/GETTY

As acusações contra Richard Ferrand o ministro responsável pela campanha de Emmanuel Macron poderão ser especialmente lesivas nas eleições que se aproximam já que o presidente francês fez do ataque à corrupção uma das suas bandeiras

O Presidente francês Emmanuel Macron manifestou esta quarta-feira o apoio ao ministro Richard Ferrand, que está sob pressão para se demitir devido às acusações veiculadas nos media de que agiu de forma imprópria há seis anos quando geriu um fundo de seguros de saúde da região de Brittany.

O atual ministro do Planeamento Urbano, Ricard Ferrand, que foi responsável pela bem sucedida campanha de Macron, alugou para o fundo de seguros um espaço para escritórios que pertencia a uma antiga companheira. Outras das acusações de Ferrand é alvo remete para a contratação do seu filho como assessor parlamentar.

Apesar das pressões para se demitir o ministro declara que sempre agiu de forma ética e que irá permanecer em funções.

Entretanto a ministra dos Assuntos Europeus, Marielle de Sarnez, foi acusada pela extrema-direita de ter agido mal ao contratar um assistente para o seu trabalho como membro do Parlamento Europeu.

70% pela demissão

Uma sondagem indicou que 70% dos eleitores pensam que Ferrand deve resignar. 62% no caso de Sarnez.

Presidindo o conselho de ministros nesta quarta-feira, Macron apelou aos restantes membros do Governo para que sejam solidários para com Richard Ferrand.

“Apenas os tribunais estão em condições de fazer o julgamento… As coisas nem sempre correm bem quando a imprensa se torna no juiz”, afirmou Macron, segundo referiu a sua porta-viz Christophe Castaner.

O caso poderá ser especialmente lesivo para as eleições que se aproximam e onde Macron espera consolidar a sua vitória ganhando também o controle do Parlamento, tendo em conta que o combate à corrupção e a transparência entre a classe política estão entre as suas bandeiras.

Ferrand voltou esta quarta-feira a reafirmar a sua inocência. “Eu não tenho duas caras. Se estou aqui é para dizer aos ouvintes que ninguém está a ser engando”, declarou aos microfones da France Inter Radio.