Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Estados Unidos testam sistema antimísseis pela primeira vez

RINGO CHIU / AFP / Getty Images

Pentágono diz que teste estava planeado há muito. Acontece depois de a Coreia do Norte ter lançado nove mísseis desde o início deste ano

Os Estados Unidos testaram pela primeira vez com sucesso o seu sistema de defesa contra mísseis balísticos intercontinentais. O intercetor terrestre lançado de uma base aérea da Califórnia conseguiu abater um míssil balístico, informou a Agência de Defesa de Mísseis (MDA).

O Pentágono diz que o teste estava planeado há muito; acaba por coincidir com o rescaldo do mais recente teste de mísseis da Coreia do Norte – o nono desde o início de 2017.

"Este sistema é de importância vital para defender a nossa pátria e este teste demonstra que temos uma forma capaz e credível de combater uma ameaça muito real", disse o diretor da MDA, o vice-almirante Jim Syring, ao anunciar o "marco crítico" na terça-feira à noite.

Esta foi a primeira vez que as forças norte-americanas simularam o lançamento de um míssil balístico intercontinental para testar as capacidades reais do seu sistema terrestre de defesa antimísseis. O intercetor, que foi lançado da base aérea de Vanderberg, colidiu com um míssil cujo lançamento foi simulado a partir das Ilhas Marshall, no Oceano Pacífico.

O teste acontece dois dias depois do lançamento de um terceiro míssil pela Coreia do Norte em apenas três semanas; o Scud da era soviética percorreu uma distância de cerca de 450 quilómetros antes de cair em águas japonesas, levando as autoridades nipónicas a prometerem retaliar.

Pyongyang tem estado a desafiar as resoluções da ONU que proíbem qualquer atividade nuclear e de mísseis pelo regime norte-coreano. O seu último teste de mísseis foi condenado não apenas pelo Japão mas pela Coreia do Sul e pelo Presidente dos EUA.

"A Coreia do Norte tem demonstrado um grande desrespeito pelo seu vizinho, a China, ao disparar mais um míssil balístico, mas a China está a tentar!", escreveu Donald Trump no Twitter na segunda-feira.

Ao teste do sistema antimísseis seguiu-se, esta manhã, uma notícia do "South China Morning Post" a dar conta de que as autoridades sul-coreanas terão "escondido" do novo Presidente que mais quatro lançadores do sistema THAAD deram entrada no país.

De acordo com o jornal, Moon Jae-in – que venceu as eleições antecipadas de há duas semanas e que imediatamente estendeu a mão à Coreia do Norte, revertendo a posição dos anteriores governos face ao vizinho – ficou "chocado" com o facto de o destacamento de mais partes do sistema antimísseis ter sido ocultado pelos militares.

No final de abril, os EUA começaram a instalar partes do controverso escudo THAAD no território sul-coreano em resposta aos avanços da Coreia do Norte nos seus programas nuclear e de mísseis – levando a China a exigir a retirada imediata do sistema de defesa, que vê como uma ameaça em potência à sua soberania.