Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Médicos Sem Fronteiras:G7 perdeu oportunidade para responder à crise dos refugiados

Os líderes do G7 “perderam uma importante oportunidade de corrigir falhas dos governos e fornecer uma resposta humana à crise dos refugiados”, afirmou hoje o diretor-geral da Médicos Sem Fronteiras (MSF) Itália, Gabriele Eminente

Os líderes do G7 “perderam uma importante oportunidade de corrigir falhas dos governos e fornecer uma resposta humana à crise dos refugiados”, afirmou o diretor-geral da Médicos Sem Fronteiras (MSF) Itália, Gabriele Eminente.

Numa nota hoje divulgada, Eminente afirma que os líderes do G7 - reunidos na Sicília, Itália, até sábado passado - decidiram abordar a crise dos refugiados como apenas um problema de segurança nacional, “punindo e criminalizando as pessoas que estão em movimento”.

“Vemos em primeira mão as consequências dessas políticas para pessoas que assistimos em todo o mundo - no Mediterrâneo, que se transformou em um cemitério gigante; nas condições terríveis de detenção na Líbia; nas necessidades humanitárias dos refugiados sírios; ou no nível extremo de violência na rota centro-americana de migração e refúgio”, afirmou ainda o responsável da ONG MSF Itália.


Segundo Eminente, “o fracasso da cúpula do G7 na Sicília só pode causar mais sofrimento, aumentar as mortes no mar, perpetuar condições de receção terríveis para migrantes e refugiados, e justificar acordos desumanos que terceirizam a migração para países inseguros”.


O G7 (Reino Unido, Alemanha, França, Canadá, Itália, Japão e Estados Unidos da América) esteve reunido em Taormina, Sicília, Itália, entre sexta-feira e sábado passados.