Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Três detidos por suspeita de envolvimento em ataque em Jacarta

Ed Wray/GETTY

O autoproclamado Estado Islâmico (Daesh) reivindicou o ataque ocorrido quarta-feira num terminal de autocarros na capital da Indonésia

A polícia indonésia anunciou esta sexta-feira a detenção de três indivíduos suspeitos de envolvimento no atentado ocorrido num terminal de autocarros em Jacarta, que causou três mortos e 12 feridos. Durante as buscas foram apreendidas duas armas, telemóveis e documentos com instruções do autoproclamado Estado Islâmico (Daesh).

O Daesh assumiu a autoria do ataque, que foi levado a cabo por dois bombistas-suicidas que se fizeram explodir há dois dias no terminal de autocarros Kampung Melayu, na capital indonésia. Segundo as autoridades, os atacantes eram dois homens, de 30 anos, oriundos da cidade de Bandung, na ilha de Java, com supostas ligações ao grupo terrorista.

Os investigadores acreditam que o grupo Jamaah Ansharut Daula – que jurou fidelidade ao Daesh –, possa também estar envolvido no ataque.

Entretanto, Presidente indonésio apelou à necessidade de o país reforçar a luta contra o terrorismo: “Temos de nos acalmar. Os muçulmanos estão a entrar no mês do Ramadão. (...) No entanto, é preciso reforçar o combate ao terrorismo. Outros países têm já legislação que permite as autoridades prevenirem ataques”, declarou Joko Widodo, durante uma visita ao local do atentado.

O ataque desta quarta-feira em Jacarta foi o mais mortífero desde janeiro de 2016, quando oito pessoas morreram, incluindo os atacantes, após um ataque com bombistas suicidas e tiros.

No último ano e meio, a Indonésia foi alvo de vários ataques de pequena escala no seu território, mas as autoridades temem que no futuro possam ser mais frequentes e sofisticados.