Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Encontro de Trump com líderes europeus já é “um sucesso”

Macron, Trump e Melania em Bruxelas, antes da cimeira da NATO

JONATHAN ERNST / REUTERS

A primeira visita do Presidente dos Estados Unidos à Europa vista pelos media surge como uma vitória em si, escreve o diário britânico "The Times". Líderes europeus têm oportunidade para tentar persuadir Donald Trump a não abandonar o acordo assinado para combate às alterações climáticas

Poucos são os media que, a propósito da visita de Donald Trump a Bruxelas, não valorizam a importância da suavização do discurso do Presidente dos Estados Unidos em relação à Europa. O que há meses parecia impossível é hoje descrito pelo britânico “The Times” como um sucesso à partida. Basta Trump encontrar-se efetivamente esta quinta-feira com o presidente do Conselho, Donald Tusk, e com o presidente da Comissão, Jean-Claude Juncker, para poder ser considerado um sucesso à partida. Só por acontecer.

O Euractiv escreve que as condições para o encontro são muito mais favoráveis do que teriam sido há meses. Os fatores que mais contribuíram para isso foi a moderação das expressões do Presidente norte-americano em relação à Europa e o desanuviamento da atmosfera que decorreu do insucesso eleitoral, em França e na Holanda, dos partidos europeus nacionalistas e anti-União Europeia.

Ainda em janeiro, Donald Tusk disse que Trump era uma “ameaça” à ordem mundial equivalente à que representa a Rússia, a China e o islão radical.

É por isso que, durante as conversações desta quinta-feira, os líderes europeus vão aproveitar para promover a cooperação com os EUA no comércio global e na luta contra as alterações climáticas usando Os argumentos que evidenciem a importância do bloco europeu para os Estados Unidos, escreve o Euractiv.

O “Financial Times” e o “Le Monde” destacam esta como a “última” oportunidade para os líderes europeus tentarem persuadir Tump a cumprir o acordo firmado na Cimeira de Paris.
Em torno dos edifícios em que os encontros de Bruxelas ocorrem juntaram-se cerca de seis mil manifestantes em protesto contra o Presidente americano.