Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Putin diz que está preparado para divulgar gravação da conversa entre Trump e Lavrov

ALEXANDER ZEMLIANICHENKO / EPA

“Se a administração norte-americana autorizar, estamos preparados para entregar a gravação da conversa entre Lavrov e Trump ao Congresso e ao Senado dos Estados Unidos”, disse esta quarta-feira o Presidente russo

O Presidente russo, Vladimir Putin, disse esta quarta-feira que está "preparado para entregar a gravação" da conversa entre o seu ministro Serguei Lavrov e o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, acusado de divulgar informações secretas.

"Se a administração norte-americana autorizar, estamos preparados para entregar a gravação da conversa entre Lavrov e Trump ao Congresso e ao Senado dos Estados Unidos", disse Putin numa conferência de imprensa em Sotchi com o primeiro-ministro italiano, Paolo Gentiloni.

A imprensa norte-americana noticiou esta semana que nessa reunião, realizada há sete dias na Sala Oval, na Casa Branca, Trump revelou informação classificada ao ministro dos Negócios Estrangeiros e o embaixador da Rússia em Washington, Serguei Kislyak.

Putin desvalorizou a polémica sobre a alegada revelação, referindo-se-lhe como "esquizofrenia política", e ironizou, afirmando que vai repreender Lavrov, porque "não partilhou essa informação" com a presidência.

  • Afinal o que é que Trump partilhou com os russos e porque é que isso importa?

    Num encontro com dois representantes do governo de Vladimir Putin na semana passada, Trump partilhou informações confidenciais sobre um plano do Daesh relacionado com o uso de portáteis a bordo de voos comerciais. O que fez não é ilegal mas vem denegrir as relações dos EUA com os seus aliados e alimentar as suspeitas de conluio entre a Casa Branca e o Kremlin

  • Trump acusado de partilhar dados confidenciais com a Rússia

    Presidente dos EUA ter-se-á gabado de uma conspiração do autoproclamado Estado Islâmico que foi detetada, denunciando a fonte da informação e a forma como esta foi adquirida, no recente encontro com o chefe da diplomacia e o embaixador da Rússia. Ação não é ilegal mas põe em risco as relações com o país que obteve as informações em causa