Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

China acusa EUA de (também) serem responsáveis pelo ciberataque

KACPER PEMPEL / REUTERS

Meios de comunicações estatais chineses lembram que os hackers exploram uma fragilidade do sistema Windows que era conhecida, e até foi explorada, pela Agência Nacional de Segurança dos Estados Unidos

Os meios de comunicação estatais chineses acusam esta quarta-feira os Estados Unidos de não terem feito o que estava ao seu alcance para travar o ciberataque que infetou mais de 300 mil computadores em todo o mundo.

Em seu entender, a Agência Nacional de Segurança (NSA, na sigla inglesa) deverá assumir alguma responsabilidade agora que se sabe que os autores deste ataque exploraram uma vulnerabilidade do sistema operativo Windows, da Microsoft, que era do seu conhecimento.

Por isso, os media chineses consideram que os EUA não têm argumentos para continuar a impedir as tecnológicas chinesas de operarem no mercado norte-americano, como por exemplo a produtora de telemóveis e de outros equipamentos para redes de telecomunicações, Huawei.

A China prepara atualmente legislação no domínio da cibersegurança que os grandes grupos económicos norte-americanos consideram que irá por em causa a sua operação em território chinês. Com efeito, as autoridades chinesas pretendem colocar os servidores de empresas estrangeiras sob vigilância mais apertada.

Há muito que a China vem insistindo naquilo a que chama um “maior equilíbrio” na gestão mundial do ciberespaço, criticando a hegemonia norte-americana.