Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Chelsea Manning, em liberdade, partilha “os primeiros passos” e uma fatia de pizza

A soldado norte-americana, condenada por ter revelado milhares de documentos à Wikileaks, mostrou nas redes sociais o que fez nos seus primeiros momentos fora da prisão

Instagram

Às 2 horas (8h em Lisboa) desta quarta-feira Chelsea Manning ficou em liberdade. Após sete anos na prisão de segurança máxima de Fort Leavenworth, no Kansas, partilhou nas redes sociais o que andou a fazer no primeiro dia fora da prisão.

As publicações na conta de Twitter de Manning já são frequentes, mas no Instagram é algo novo. Também neste primeiro dia de nova vida, a soldado publicou duas imagens na rede social. Uma dos ténis, com a legenda “os primeiros passos em liberdade” e outra de uma fatia de pizza, com a descrição “já estou a desfrutar da minha quente e gordurosa pizza”.

Manning, segundo declarações da advogada Nancy Hollander, “está ansiosa por finalmente poder viver como mulher que é”.

Instagram

Nascida em 1987 com sexo masculino e sob a identidade Bradley Edward Manning, a militar transexual foi condenada a 35 anos de prisão por duas dezenas de crimes, incluindo espionagem e por revelar milhares de documentos diplomáticos e militares norte-americanos à Wikileaks. Na altura, estava destacada no Iraque como analista de informações do exército norte-americano. Foi ali, em maio de 2010, que foi detida.

Mais tarde, pediu desculpa por “prejudicar os EUA", afirmando ter acreditado erradamente que podia “mudar o mundo para melhor”.

Este ano, pouco antes de terminar o mandato, Barack Obama comutou a pena. “Chelsea já cumpriu a mais longa sentença na história deste país atribuída a um denunciante”, afirmaram os seus advogados em comunicado. “Foi demasiado longa, demasiado severa, demasiado draconiana. O ato de comutação do Presidente Obama constituiu a primeira vez que os militares tiveram cuidado com este soldado que arriscou tanto para divulgar informação de interesse público.”