Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Retomadas negociações de paz sobre a Síria

REUTERS

Depois de realizadas já cinco rondas de negociações indiretas - porque as duas delegações se recusam a encontrar-se frente-a-frente - o mediador, Staffan de Mistura, revelou-se moderadamente otimista

As negociações de paz sobre a Síria foram esta terça-feira retomadas na ONU, em Genebra, e o mediador, Staffan de Mistura, que já se reuniu com as delegações do regime e da oposição, revelou-se moderadamente otimista.

Cinco rondas de negociações indiretas - porque as duas delegações se recusam a encontrar-se frente-a-frente - foram já organizadas desde 2016, nas margens do lago Léman, pelo enviado especial da ONU, Staffan de Mistura, sem resultados.

Depois de se reunir esta manhã com a delegação do regime, liderada pelo embaixador sírio nas Nações Unidas, Bachar al-Jaafari, o mediador reuniu-se à tarde com os representantes da oposição, no Alto Comissariado das Negociações (HCN), com sede em Riade, liderados por Nasr al-Hariri e Mohammad Sabra.

O diplomata ítalo-sueco afirmou esperar debates mais ativos que nos anteriores ciclos de conversações, bem como várias sessões por dia.

Em seis anos, a guerra fez mais de 320.000 mortos, obrigou mais de metade da população síria a abandonar as respetivas casas e destruiu a economia e as infraestruturas do país.

O conflito foi igualmente marcado por atrocidades, como massacres de civis e uso de armas químicas.

Os esforços para pôr fim à guerra decorrem agora em dois circuitos paralelos: o processo político oficial, em curso na sede da ONU em Genebra, e outras negociações, centradas na segurança, que têm lugar desde janeiro em Astana, a capital do Cazaquistão, por iniciativa da Turquia, que apoia os rebeldes, e da Rússia e do Irão, aliados do regime sírio.

Na quarta série de negociações, em fevereiro, Staffan de Mistura, conseguiu pela primeira vez fazer as duas partes no conflito aceitar uma ordem de trabalhos com quatro temas de discussão: a luta contra o terrorismo, a governação (um termo ambíguo que se refere a uma transição política), uma nova Constituição e a realização de eleições. Mas depois, nenhum avanço foi registado.