Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Macron reúne-se esta segunda-feira com Merkel em Berlim

TOBIAS SCHWARZ/GETTY

Presidente francês deverá reiterar a importância do eixo franco-alemão e a necessidade de levar a cabo reformas na UE

Um dia depois de tomar posse, o Presidente francês desloca-se esta segunda-feira a Berlim para reunir-se com a chanceler alemã, cumprindo a tradição dos seus antecessores de realizar a primeira visita oficial à Alemanha. Emmanuel Macron será o quarto chefe de Estado gaulês a cooperar com Angela Merkel – após Jacques Chirac, Nicolas Sarkozy e François Hollande – e deverá reiterar a importância da relação bilateral e a necessidade de reformas na União Europeia.

Aliás, durante a cerimónia da sua tomada de posse, Macron elogiou no domingo a escolha dos franceses que ao elegerem Presidente de França escolheram a “esperança” e a importância de uma nação e de uma Europa “forte”. “Precisamos de uma Europa mais eficiente e democrática, porque é o instrumento do nosso poder e da nossa soberania. A UE protege os nossos valores no mundo, mas necessita de ser refundada e relançada”, declarou Macron durante o seu discurso no Salão de festas do Eliseu.

O novo chefe de Estado francês – que poderá indicar hoje o nome do primeiro-ministro – prometeu ainda fazer tudo o que estiver ao seu alcance para combater o terrorismo e responder à crise dos refugiados.

Já a chanceler alemã manifestou-se disponível para ouvir as propostas de Macron, com vista à consolidação da zona euro. “Vou falar com o novo Presidente francês de forma a percebermos como podemos fortalecer a zona euro e levar a cabo reformas que tenham um impacto rápido no mercado de trabalho. Podemos também pensar em programas de investimentos conjuntos, nomeadamente no domínio digital”, afirmou Merkel na semana passada.

Logo após as eleições francesas a 7 de maio, a chanceler congratulou-se com a vitória de Macron, defendendo que representa e transporta a esperança “de milhões de franceses e de muitas pessoas na Alemanha e na Europa”. A chanceler que temia o triunfo da extrema direita em França, manifestou-se aliviada com a eleição de Macron e disponível para trabalhar com o novo Presidente francês, ainda que se mostre reticente a medidas que impliquem a alteração dos tratados europeus.

Uma das propostas de Macron passa pela criação de um orçamento comum da zona euro, que conta com o apoio de Martin Schulz, candidato social-democrata nas eleições alemães. O novo governante francês defende ainda o lançamento de um novo fundo de investimento europeu e a criação de um Parlamento da zona euro.

Esta segunda-feira, a visita de Macron a Berlim tem, no entanto, um ponto de partida diferente dos seus antecessores, como nota a imprensa francesa. Durante a campanha, o candidato ao Eliseu deslocou-se duas vezes à capital alemã conquistando apoios da esquerda à direita e era também próximo do vice-chanceler Sigmar Gabriel, quando era ministro da Economia do Governo de Hollande. Entretanto, o Presidente francês decidiu também nomear para o cargo de conselheiro diplomático Philippe Etienne, embaixador francês na Alemanha desde há três anos e forte conhecedor do universo político no país, realça o “Le Monde.”

Entretanto, Macron irá reunir-se com o seu homólogo norte-americano no próximo dia 25 de maio, em Bruxelas. A Casa Branca anunciou este domingo que Donald Trump irá ter um “longo pequeno almoço” na capital belga com Emmanuel Macron para comparar opiniões.

O centrista Emmanuel Macron venceu no passado dia 7 a segunda volta das presidenciais francesas, com 66,10% dos votos, contra 33,90% da candidata de extrema-direita Marine Le Pen.