Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

EUA e Japão pedem reunião urgente do Conselho de Segurança

JUNG YEON-JE

Os Estados Unidos e o Japão pediram uma reunião de urgência do Conselho de Segurança das Nações Unidas, na sequência do mais recente disparo, este domingo (sábado na península coreana), de um míssil pela Coreia do Norte, indicaram fontes diplomáticas em Nova Iorque

A representação nas Nações Unidas do Uruguai, que preside ao Conselho de Segurança ao longo do mês de maio, adianta que a reunião deverá ocorrer na tarde de terça-feira.

A Coreia do Norte disparou este domingo (ainda sábado à noite em Portugal) um míssil balístico, segundo a agência de notícias sul-coreana Yonhap, citada pela AFP.

O disparo - o segundo no período de 15 dias - foi interpretado como um desafio, tendo em conta que a Coreia do Sul acaba de eleger um novo Presidente, Moon Jae-In.

A NATO criticou o lançamento do míssil e apelou a Pyongyang para que incentive o desanuviamento da tensão, em vez de insistir nas "provocações". O míssil, que percorreu mais de 700 quilómetros antes de cair em águas do Mar do Japão, constitui "um incumprimento flagrante de várias resoluções do Conselho de Segurança das Nações Unidas", o que pressupõe "uma ameaça à paz e à segurança internacional".

A União Europeia considerou o disparo "uma ameaça à paz e segurança internacional", numa escalada da tensão na região. O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, defendeu o endurecimento de sanções contra a Coreia do Norte no seguimento do disparo. Também a China e a Rússia já reagiram, mostrando-se "preocupadas com a escalada de tensão" na península coreana.