Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Quem são os candidatos de Macron? Metade são mulheres, jovens e sem experiência política

Thierry Chesnot / Getty Images

Os candidatos às legislativas francesas do partido República em Marcha são novos rostos. Igualdade de género e diferentes visões políticas marcam a equipa de Emmanuel Macron

Foram apresentados esta quinta-feira 428 candidatos às legislativas francesas do partido de Emmanuel Macron. Faltam apenas ser conhecidos 148, cujos nomes serão divulgados na próxima quarta-feira.

A renovação prometida pelo Presidente-eleito francês está patente na sua equipa, onde metade são mulheres, jovens e sem experiência política, refere o “Le Monde”. Segundo Richard Ferrand, secretário do novo partido de Macron, República em Marcha, os candidatos escolhidos assinalam o “regresso definitivo dos cidadãos ao coração da vida política.”

O intervalo generacional é vasto: dos 24 aos 72 anos, mas a média ronda os 46. São na sua maioria jovens. Cerca de uma dezena de candidatos são desempregados, 20 são reformados e alguns são estudantes. Vários vieram do Partido Socialista de François Hollande, mas há também muitos independentes e de outros espectros políticos.

Com falta de experiência política nos seus currículos, há porém nomes conhecidos para os franceses entre os candidatos às legislativas do República em Marcha. É o caso de Cédric Villain, o matemático mais famoso de França; Bruno Bonnell, um empresário de robótica, ou Marie Sara, mulher de um conhecido ator francês, conta o “El País”.

Fora da lista do partido de Macron ficou o ex-primeiro ministro francês Manuel Valls, que manifestara na terça-feira a intenção de ser candidato pelo partido recém-criado nas eleições legislativas em junho, afirmando que o “PS francês está morto.”

O secretário do partido de Macron justificou esta decisão com o facto de Valls ter cumprido três mandatos parlamentares e um dos objetivos da República em Marcha ser precisamente a renovação. No entanto, Richard Ferrand garantiu que o partido não irá apresentar um candidato no círculo de Evry, no sul de Paris, onde o ex-primeiro ministro francês deverá avançar com uma candidatura independente.

Em comunicado, Manuel Valls congratulou-se com a decisão célere do partido, reiterando ao desejo de se candidatar no círculo de Evry . “O meu compromisso e o meu amor por França não exigem etiquetas, nem posições artificiais e esteréis, É pois como homem livre, mas fortalecido por um aidentidade política clara, reivindicada, assunida (republicano, progressista e de esquerda) que vou atuar”, declarou o antigo governante.

No domingo, o centrista Emmanuel Macron venceu a segunda volta das presidenciais francesas, com 66,10% dos votos, contra 33,90% da candidata de extrema-direita Marine le Pen. Este domingo, tomará posse oficial do cargo.

As eleições legislativas francesas estão marcadas para 11 e 18 de junho.