Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Caso WikiLeaks: Manning sai em liberdade dentro de dias

Manifestação pedindo a libertação de Manning, em São Francisco, EUA

Elijah Nouvelage / Reuters

Foi condenado a 35 anos de prisão, mas Obama perdoou-lhe grande parte da pena. O militar que esteve na origem do caso Wikileaks – nascido Bradley, hoje de nome próprio Chelsea – conta os dias para sair em liberdade. Através dos advogados, divulgou um comunicado onde diz o que lhe vai na alma

Margarida Mota

Jornalista

Chelsea Elizabeth Manning, que cumpre pena de prisão nos Estados Unidos pela divulgação de mais de 700 mil documentos contendo informação classificada ou sensível (caso WikiLeaks, 2010), já fala como uma pessoa livre.

“A liberdade era algo com que eu sonhava, mas nunca me permitia imaginar totalmente”, lê-se num comunicado divulgado esta terça-feira pelos seus advogados. “Agora, é algo que voltarei a viver outra vez com amigos e entes queridos após quase sete anos atrás das grades e de cimento, de períodos de confinamento na solitária, e de restrições ao nível dos meus cuidados de saúde e da minha autonomia, incluindo rotineiros cortes de cabelo forçados.”

Nascida em 1987 com sexo masculino e sob a identidade Bradley Edward Manning, a militar transexual foi condenada a 35 anos de prisão. A pena foi comutada pelo ex-presidente dos Estados Unidos Barack Obama três dias antes deste deixar a Casa Branca. Manning sairá em liberdade da prisão de segurança máxima de Fort Leavenworth (Kansas) na próxima quarta-feira, dia 17, após sete anos de prisão efetiva, a contar do momento em que foi detido, em maio de 2010, quando servia no Iraque.

“Chelsea já cumpriu a mais longa sentença na história deste país atribuída a um denunciante”, afirmaram os seus advogados em comunicado. “Foi demasiado longa, demasiado severa, demasiado draconiana. O ato de comutação do Presidente Obama constituiu a primeira vez que os militares tiveram cuidado com este soldado que arriscou tanto para divulgar informação de interesse público.”