Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Líder dos trabalhistas diz que “não sai se perder as eleições”

Jeff J Mitchell / Getty Images

Jeremy Corbyn, que lançou oficialmente a sua campanha eleitoral na terça-feira, afirma que vai continuar o seu trabalho independentemente dos resultados das eleições legislativas antecipadas

Jeremy Corbyn prometeu continuar à frente do Partido Trabalhista da Grã-Bretanha, apesar das sondagens mais recentes apontarem para a sua derrota nas eleições legislativas de 8 de junho.

“Fui eleito líder deste partido e continuarei líder deste partido", declarou o líder dos trabalhistas, citado pelo site Buzzfeed News.

Deste que assumiu a liderança do Partido Trabalhista em 2015, um dos seus objetivos tem sido unir as fileiras eleitas do partido por trás da sua visão política e convencer o público da sua liderança, diminuindo a capacidade de o partido de exercer pressão sobre questões como a saída da Grã-Bretanha da União Europeia (Brexit).

As mais recentes sondagens indicam que a primeira-ministra britânica está à frente na corrida por mais de 20 pontos percentuais. May acredita que a sua vitória irá reforçar a posição do país nas negociações do Brexit, mas os seus opositores temem que a voz do trabalhistas não seja ouvida no debate sobre o tipo de acordo que a Grã-Bretanha deve estabelecer com Bruxelas.

Criticado por não ter sido claro sobre a sua posição em relação à saída da Grã-Bretanha da União Europeia, Corbyn disse no lançamento da sua campanha em Manchester, que “o Partido Trabalhista quer um Brexit que protega o futuro das indústrias vitais da Grã-Bretanha, um Brexit que prepare o caminho para uma sociedade genuinamente mais justa e uma economia renovada.”

Jeremy Corbyn lançou a sua campanha com um discurso agressivo dirigido aos eleitores do núcleo do partido, criticando os conservadores por fazerem parte de um sistema inclinado para os ricos.

“O trabalho está sob ataque porque estamos a enfrentar as elites que estão determinadas a sequestrar o Brexit e a pagar ainda menos impostos e a tirar ainda mais da riqueza que todos nós criámos”, afirmou Corbyn em Manchester. E continuou o seu discurso dizendo que “quando o trabalho ganhar haverá um cálculo para aqueles que pensaram que poderiam fugir com a descapitalização de bens da nossa indústria, destruindo a nossa economia através da sua ganância, e arrancando trabalhadores e consumidores”.