Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Jacarta. Prisão para governador católico por blasfémia

AFP/GETTY

A defesa de Basuki Tjahaja Purnama já anunciou que vai recorrer da decisão do juiz

Um governador de Jacarta foi condenado esta terça-feira a dois anos de prisão por blasfémia. Basuki Tjahaja Purnama, conhecido como “Ahok”, é cristão e foi acusado de ter ofendido o Islão, após insistir numa interpretação diferente de uma parte do Corão.

Apesar de ter pedido desculpa pelos comentários – acusando os seus rivais de recorrerem ao livro sagrado muçulmano para conseguirem vantagem política nas eleições para governador da cidade –, um tribunal indonésio declarou “Ahok” culpado do crime de blasfémia.

Os procuradores pediram uma pena suspensa de um ano de prisão por discurso de ódio, crime que prevê uma pena inferior à de blasfémia na Indonésia. No entanto, o juiz sustentou que ofender o Islão é um crime grave, que exige uma pena superior, e recusou qualquer influência política na sentença.

Entretanto, a defesa de Basuki Tjahaja Purnama já anunciou que vai recorrer da decisão do juiz.

Centenas de pessoas aguardaram no exterior do tribunal pelo veredito do juiz, refere a Reuters. A ONG de defesa os direitos humanos Human Rights Watch considerou que a condenação do governador cristão é um “sério recuo” dos direitos das minorias na Indonésia, onde apesar da diversidade religiosa, a esmagadora maioria da população é muçulmana.