Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

EUA. Homem processa funerária por recusar cremar marido

Marido e sobrinho exigem uma indemnização por danos morais. A agência funerária nega contudo as acusações de discriminação

Um cidadão norte-americano avançou com uma ação judicial contra uma agência funerária no Mississippi, EUA, por alegadamente ter recusado cremar o marido.

John Zawadski conta que um funcionário da agência se tinha comprometido a tratar da cerimónia fúnebre do marido e que acabou por desistir quando descobriu que o morto era homossexual. Por esse motivo, o marido e o sobrinho exigem uma indemnização, invocando a violação do contrato e danos morais.

“Bob era a minha vida, e nós sempre nos sentimos tão bem recebidos nesta comunidade. E depois, num momento de tamanha perda e dor pessoal há alguém que faz isto a mim, ao Bob, eu simplesmente não poderia acreditar”, lamentou o viúvo, de 82 anos, ao jornal “Mississippi Today”.

A agência funerária nega contudo as acusações de discriminação, garantindo que já preparou atos fúnebres de gays. “Nós simplesmente não fizémos isso (...) nós tratamos todos bem”, disse a proprietária da agência ao mesmo jornal.

Companheiros por mais de 52 anos, John Zawadski e Robert Huskey mudaram-se para a cidade de Picayune, no Mississippi, após a reforma. Em julho de 2015, oficializaram a relação depois de o casamento entre pessoas do mesmo sexo ter sido legalizado naquele estado.