Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Português racista, homofóbico e misógino serve de exemplo para os franceses irem votar

O vídeo foi criado para a apresentação da primeira edição do Festival Política, mas foi traduzido para francês e está a fazer furor na internet em vésperas da segunda volta das eleições que opõem Emmanuel Macron à candidata da extrema-direita Marine Le Pen

“Este filme português toca no ponto! Votar ou não votar? A questão não deve sequer colocar-se”, refere a mensagem do Culture Pub, o site francês que decidiu traduzir o vídeo da primeira edição do Festival Política e transpô-lo para o contexto das atuais presidenciais francesas, que no próximo domingo vão opor Emmanuel Macron à candidata da extrema-direita Marine Le Pen, na segunda volta das eleições.

O cenário do vídeo é uma tradicional tasca portuguesa. A personagem principal é um indivíduo engravatado, que no curto minuto de duração consegue manifestar atitudes de racismo, homofobia e misoginia. “O mundo está cheio de pessoas assim. Se te absténs são elas a decidir por ti”, é a mensagem que se lê no final da cena.

A versão traduzida já ultrapassou o milhão de visualizações, numa inesperada mudança de contexto, que apanhou de surpresa os autores da ideia.

“O vídeo foi feito para abordar um tema um pouco difícil de divulgar, o da abstenção”, indicou ao Expresso Rui Oliveira Marques, um dos organizadores do festival, que foi promovido numa parceria com a empresa municipal EGEAC, no âmbito das iniciativas “Abril em Lisboa”, que assinalaram no mês passado o 43º aniversário da Revolução dos Cravos. O festival contou com debates, worshops e filmes apresentados no cinema São Jorge sob o tema genérico da abstenção.

“Já houve muitas campanhas para levarem as pessoas a votar, mas nenhuma foi muito impactante”, explicou Oliveira Marques. “A nossa ideia foi criar um filme muito impactante, que voltasse a ser colocado a circular nas redes sociais sempre que houvesse eleições em Portugal”, acrescentou.

A cena acabou contudo por assentar como uma luva no atual quadro das presidenciais francesas. “Parece que foi feito de propósito para as eleições francesas, porque toca no racismo, na homofobia e na questão dos refugiados, coincidindo com o discurso de Marine Le Pen da defesa do fecho das fronteiras”, acrescentou Oliveira Marques, frisando que a mensagem encaixa depois também na argumentação que está a ser utilizada por Macron para persuadir os eleitores a irem votar, o que inclusivé suscitou comentários de internautas que criticam o vídeo, considerando que toma posição em favor desse candidato.