Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Já está operacional o sistema antimíssil dos EUA na Coreia do Sul

Sul-coreanos manifestamse contra o sistema antimíssil norte-americano THAAD

JUNG YEON-JE / AFP/Getty Images

Classificado pelos EUA como “meramente defensivo”, o controverso sistema foi instalado para permitir um nível de proteção extra em relação ao sistema antimíssil existente, diz o Pentágono. China e parte da população sul-coreana estão contra

O controverso sistema antimíssil THAAD (sigla inglesa para Terminal High Altitude Area Defense), instalado pelos Estados Unidos (EUA) na Coreia do Sul como resposta aos testes de mísseis realizados pela Coreia do Norte, “atingiu a sua capacidade inicial de interceção de mísseis”. A informação foi avançada à agência France Presse (AFP) por um responsável norte-americano, sob condição de anonimato.

Classificado pelos EUA como “meramente defensivo”, o sistema foi instalado para permitir um nível de proteção extra em relação ao sistema antimíssil já existente na Coreia do Sul, protegendo assim melhor sul-coreanos e forças norte-americanas no terreno, sublinha o Pentágono. Criado para intercetar mísseis de curto e médio alcance na fase final de voo, o sistema gerou contestação da China, que receia que o THAAD reduza a eficácia dos mísseis chineses, e de parte da opinião pública sul-coreana, preocupada com as consequências ambientais.

A instalação foi acordada entre Seul e Washington em julho, mas na semana passada o seu financiamento foi alvo de desentendimento entre as duas partes. O Presidente dos EUA declarou ser “apropriado” que a Coreia do Sul pagasse o sistema, que custou cerca de mil milhões de dólares. Mas Seul afastou essa hipótese.

Apesar da instalação do sistema, esta segunda-feira Donald Trump declarou estar disponível para se reunir, “com as condições certas”, com o líder norte-coreano, Kin Jong-un. “Se para mim fizer sentido encontrar-me com ele, eu terei, com toda a certeza, a honra de o fazer”, disse em entrevista à “Bloomberg News”.

A realizar-se, o encontro entre os dois líderes seria o primeiro desde o ano 2000, quando a então secretária de Estado norte-americana Madeleine Albright, na presidência de Bill Clinton, se reuniu com Kim Jong Il, pai do atual líder norte-coreano. Desde que chegou ao poder, em 2011, Kim Jong-Un nunca se encontrou com qualquer dirigente político estrangeiro.