Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

De visita à Arábia Saudita, Merkel não usa véu

O rei Salman bin Abdulaziz al-Saud a cumprimentar a chanceler alemã Angela Merkel, em Jeddah, na Arábia Saudita

EPA / SAUDI PRESS AGENCY HANDOUT

Depois de o Parlamento alemão ter aprovado um projeto de lei que proíbe o uso de burqas e niqabs na função pública, a chanceler alemã foi à Arábia Saudita. E não escondeu o cabelo, como manda o protocolo do país

Recebida no Palácio de Jeddah pelo rei Salman e principais colaboradores, Angela Merkel seguiu os passos de Theresa May, Michele Obama e Hillary Clinton: a chanceler alemã visitou a Arábia Saudita, mas não usou o véu ou lenço que está previsto no código do país em relação ao vestuário das mulheres. Este código conservador obriga as mulheres a, quando estão em público, esconder o cabelo e a usar uma túnica até aos pés, entre outras normas.

A chanceler alemã visitava este domingo a Arábia Saudita para discutir as relações bilaterais entre a Alemanha e a Arábia Saudita e a próxima cimeira do G20, que decorrá em julho em Hamburgo, noticia o jornal “The Independent”. Clima, energia, pena de morte e direitos humanos deverão ser alguns dos temas abordados nas conversações entre os dois países, segundo avançaram à Lusa fontes alemãs.

A visita ocorre na semana seguinte à aprovação, no Parlamento alemão, da proibição do uso de burqas e niqabs por trabalhadoras da função pública. Apologista da proibição da burqa no seu país, Merkel defende que o seu uso não é aceitável na Alemanha e que deve, por isso, “ser banida onde for legalmente possível”.