Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

May promete dureza na negociação e não mexer no IVA

JEFF OVERS / BBC / EPA

Em plena campanha eleitoral, a primeira-ministra britânica responde no mesmo tom à Cimeira de Bruxelas e promete não aumentar o IVA se ganhar as eleições de 8 de junho

Já em plena campanha eleitoral, a primeira-ministra britânica Theresa May prometeu este domingo, em entrevista à BBC, que caso ganhe as eleições no dia 8 de junho não aumentará o IVA. E em resposta à dura posição assumida este sábado na cimeira da União Europeia quanto às orientações para a saída do país do bloco europeu, May também promete dureza da sua parte.

"Os líderes europeus endossaram termos muito duros" para o "divórcio com Grã-Bretanha", afirma May, avisando os britânicos para não terem ilusões quanto à possibilidade de se avançar com uma nova relação com a UE, a fim de assegurar o acesso aos mercados europeus. E garante que é preferível não haver acordo do que obter um mau acordo com Bruxelas.

Esta tomada de posição de May surge na sequência da cimeira extraordinãria que decorreu este sábado, em Bruxelas a primeira desde que se iniciou a contagem decrescente para o Brexit. Nessa reunião a 27, os líderes europeus não precisaram de mais de um quarto de hora para adotar as diretrizes da União para as negociações com o Reino Unido. A principal dessas orientações refere-se aos direitos dos 4,5 milhões de cidadãos dos 27 Estados-mebros que vivem, trabalham e estudam no Reino Unido e vice-versa, uma preocupação fundamental por parte dodo bloco.

Impostos não serão aumentados

Em relação ao pacote de impostos, May promete que se o Partido Conservador ganhar as eleições não haverá aumento do IVA no país. Esta declaração pode ser vista também como um sinal de que poderá abandonar a promessa, mais conservadora, do pacote do "triplo bloqueio", onde além do IVA se inclui o aumento do imposto de rendas e de seguro nacional.