Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Sobe para cinco número de mortos no atentado de Estocolmo

JONATHAN NACKSTRAND/GETTY

Mais de 20 dias depois, uma das vítimas do atentado em Estocolmo não resistiu aos ferimentos, aumentando para cinco o número de mortos

Uma mulher de cerca de 60 anos que tinha ficado ferida no atentado com um camião em Estocolmo a 7 de abril morreu esta sexta-feira, elevando para cinco o número de vítimas mortais do ataque, informou a polícia sueca.

A mulher, sobre a qual as autoridades não adiantaram mais pormenores, junta-se a quatro mortos confirmados nas horas que se seguiram ao atentado: uma menina sueca de 11 anos, uma belga de 31, uma sueca de 69 e um britânico de 41 anos, além de 14 feridos que já tiveram alta.

O autor confesso, o uzbeque Rakhmat Akilov, foi detido na noite do ataque num subúrbio da capital, e dias depois prestou declarações perante um juiz, que lhe decretou prisão preventiva de um mês após aceitar a acusação de terrorismo com homicídio.

Akilov, de 39 anos e que terá chegado à Suécia em 2014, tinha apresentado um pedido de asilo que as autoridades rejeitaram em junho.

Após ignorar um requerimento para que se entregasse voluntariamente, a polícia emitiu em fevereiro uma ordem de busca.

A investigação confirmou a sua simpatia pelo grupo terrorista Estado Islâmico (EI), embora não tenham sido divulgados pormenores sobre os seus motivos ou sobre se o objeto encontrado no camião que conduzia era um explosivo, como avançaram alguns media locais.

O camião percorreu quase 600 metros da principal rua pedonal de Estocolmo há três semanas atropelando peões até embater na fachada de uns grandes armazéns.

O ataque chocou a Suécia, conhecida pela sua política aberta a imigrantes e refugiados.

Em 2015, um recorde de 163 mil requerentes de asilo chegaram ao país – a taxa per capita mais elevada da Europa.

Na quinta-feira, o Governo sueco anunciou novas medidas contra a imigração ilegal em resposta ao atentado.