Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Parlamento Europeu exige €5 milhões a deputados da Frente Nacional

GUILLAUME HORCAJUELO / EPA

Marine Le Pen pertence à lista de eurodeputados acusados pelo Parlamento Europeu de terem utilizado indevidamente fundos comunitários para pagar salários aos seus assistentes. A acusação chega às instâncias mais altas da Frente Nacional

Miguel Rebocho Pais

O Parlamento Europeu estima ter perdido quase cinco milhões de euros com eurodeputados da Frente Nacional (FN), após uma investigação sobre o uso indevido de fundos durante os seus mandatos, avança a rádio francesa Franceinfo. Uma das acusadas é Marine Le Pen, candidata finalista à presidência francesa.

Segundo os investigadores do órgão legislativo europeu, Le Pen terá utilizado, desde 2012, fundos parlamentares para pagar o salário de Catherine Griset, a sua chefe de gabinete na FN, e de um guarda-costas. O “Politico Europe” avança que o Parlamento Europeu vai exigir o reembolso do dinheiro a Marine Le Pen e demais deputados nas mesmas circunstâncias, citando uma fonte oficial do órgão comunitário.

Le Pen não terá sido a única a pagar a assistentes com dinheiro indevido. Patrick Maisonneuve, advogado do Parlamento Europeu, confirma que a lista de suspeitos é vasta. Inclui 30 nomes, entre os quais se contam 17 membros da FN, o partido de extrema-direita liderado por Le Pen. A lista incluim, entre outros, Jean-Marie Le Pen, fundador do partido e pai da candidata, Louis Aliot, vice-presidente da FN, e Florian Philippot, também vice-presidente do partido e o principal estratega da campanha presidencial de Marine.

Segundo a Franceinfo, para Maisonneuve “o valor a devolver pelos deputados ainda pode ser superior”. O que tem vindo a acontecer até aqui: em setembro de 2015, o órgão comunitário estimava ter perdido só com Le Pen 1,9 milhões de euros.

A pedido dos procuradores franceses, os eurodeputados iniciaram esta quarta-feira o processo de levantamento da imunidade de Marine Le Pen, no seguimento da investigação sobre o uso indevido de fundos. O processo não deverá estar concluído antes da segunda volta das eleições. A dirigente partidária tem recorrido à sua imunidade, desde fevereiro, para não colaborar com a investigação das autoridades.

Os franceses voltam às urnas a 7 de maio para a segunda volta das eleições presidenciais. Na passada segunda-feira, Marine Le Pen anunciou que ia abandonar temporariamente a lderança da FN para poder ser “a Presidente de todos os franceses”.