Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Único debate televisivo entre Macron e Le Pen marcado para 3 de maio

VINCENZO PINTO / AFP / Getty Images

A equipa do vencedor da primeira volta das presidenciais en França já tinha pedido um debate com a líder da Frente Nacional em fevereiro passado, mas na altura “ela recusou”

Um debate televisivo entre o liberal pró-europeu Emmanuel Macron e a líder da extrema-direita francesa Marine Le Pen, que vão disputar a segunda volta das presidenciais francesas, será realizado a 3 de maio. A informação foi avançada esta tarde por um elemento da equipa de Macron, citada pela agência noticiosa francesa AFP.

"Será um frente a frente com o adversário que designámos ao longo desta campanha", disse um elemento da equipa de Macron, a propósito do debate agendado para quatro dias antes da segunda volta (a 7 de maio) e que será transmitido por dois canais de televisão franceses.

A equipa do candidato independente liberal de 39 anos já tinha pedido um debate com a líder da Frente Nacional em fevereiro passado, mas na altura "ela recusou", indicou a mesma fonte.

Horas antes, o diretor da campanha de Marine Le Pen, David Rachline, já tinha indicado que o debate "deveria acontecer", apresentando o frente a frente como uma oportunidade "para ver de maneira muito clara as duas escolhas de sociedade que são propostas por um e por outro".

Le Pen e Macron foram os dois candidatos que passaram à segunda volta das presidenciais francesas, ao obterem os melhores resultados na primeira volta, no domingo.

De acordo com os dados disponíveis, Macron contou com 23,75% dos votos, enquanto Le Pen com 21,53% dos votos. Os dois deixaram para trás os candidatos dos partidos tradicionais franceses: os socialistas e os republicanos.

Le Pen e Macron apresentam-se como as caras da renovação de uma classe política em declínio, mas com programas de governação totalmente opostos.

A líder da Frente Nacional defende a saída francesa da União Europeia e do euro e fortes restrições sobre a imigração. Já Macron assume-se como um pró-europeu e um liberal, tanto no plano económico como em matérias sociais.

Os franceses acompanharam de forma atenta os vários debates que marcaram a campanha presidencial, que conseguiram captar a atenção de milhões de telespetadores.

O debate entre os dois nomes que disputam a segunda volta das presidenciais tem grande tradição na política francesa e é um momento obrigatório para os candidatos há várias décadas.

A única exceção aconteceu em 2002, ano em que o antigo Presidente Jacques Chirac (direita) recusou realizar um debate com o cofundador da Frente Nacional Jean-Marie Le Pen, pai de Marine, que então conseguiu uma surpreendente passagem à segunda volta, a primeira vez para o partido de extrema-direita criado em 1972.