Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Primeiro-ministro francês critica Le Pen e Fillon pelo “aproveitamento político” do atentado

reuters

Bernard Cazeneuve acusa os candidatos da extrema-direita e da direita de semearem “excessos e divisões”, após o atentado desta quinta-feira em Paris

Depois das críticas dirigidas ao governo por Marine Le Pen e François Fillon, o primeiro-ministro francês lamentou aquilo que considera ser uma tentativa de “aproveitamento político” do atentado que vitimou esta quinta-feira à noite um polícia em Paris.

Num comunicado lido aos jornalistas, Bernard Cazeneuve disse esta manhã que a líder da Frente Nacional e candidata da extrema direita à presidência francesa aproveita cada drama para alimentar o medo e a emoção, descaradamente, com fins exclusivamente políticos”, quando apontou o dedo ao executivo de François Hollande, acusando-o de “inação” na luta contra o terrorismo.

Sobre a necessidade apontada por Le Pen de França repor as fronteiras e expulsar os terroristas para os seus países de origem, o primeiro-ministro francês lembrou que durante o estado de emergência em vigor foi reforçado o controlo das fronteiras e detidos vários suspeitos de terrorismo.

Quanto à promessa de François Fillon de aumentar o policiamento nas ruas, Cazeneuve contrapôs: “Ele [Fillon] recomenda a criação de 10 mil postos de trabalho na polícia. Como acreditar nisso, num candidato que enquanto primeiro-ministro suprimiu 13 mil postos nas forças de segurança interna?”, recordou.

O ataque ocorrido na noite de quinta-feira em Paris aconteceu a três dias da primeira volta das eleições presidenciais em França, quando está previsto um novo reforço da segurança no país sobretudo junto às assembleias de voto.