Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Mélenchon: “Não podemos ceder ao pânico, nem deixar-nos levar pelas emoções”

THOMAS SAMSON/GETTY

Candidato da esquerda ao Eliseu apela à calma dos franceses, defendendo que o primeiro dever é manter o “sangue frio” após o último atentado em Paris

O candidato da esquerda às presidenciais francesas, Jean-Luc Mélenchon, pediu esta sexta-feira aos franceses que não se deixem levar pelo "ódio e a vingança" depois do ataque de quinta-feira em Paris que provocou a morte a um polícia.

"O nosso primeiro dever é o do sangue frio. Não podemos ceder ao pânico, nem deixar-nos levar pelas emoções", disse Mélenchon.

O candidato da França Insubmissa anunciou um minuto de silêncio em memória do polícia morto no comício de encerramento da campanha.

Mélenchon é um dos quatro candidatos que, segundo as sondagens, podem passar no domingo à segunda volta das presidenciais.

Na quinta-feira à noite, um homem disparou com uma arma automática contra um veículo da polícia na avenida dos Campos Elísios, em Paris, matando um agente e ferindo outros dois. O atacante, alegadamente um islâmico radicalizado, foi morto no local.