Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Austrália dificulta concessão de nacionalidade

Ryan Pierse/GETTY

A partir de agora é mais difícil um cidadão estrangeiro conseguir nacionalidade australiana. Além de ter de provar que domina o inglês, terá de demonstrar que está bem integrado no país

Dois dias depois de o governo australiano ter anunciado um agravamento dos requisitos para a entrada de trabalhadores de outros países, o primeiro-ministro australiano declarou esta quinta-feira que vão aumentar também as condições para a concessão de nacionalidade a estrangeiros.

Em conferência de imprensa em Camberra, Malcolm Turnbull defendeu que a cidadania australiana tem de basear-se nos valores nacionais, nomeadamente “o respeito pelas leis, democracia, liberdade, respeito mútuo e igualdade de género”.

Com efeito, a partir de agora os aspirantes à cidadania australiana terão que provar que dominam o inglês através de um teste (escrito e oral) e demonstrar que estão bem integrados no país, mediante a apresentação de provas de emprego , declarações de impostos e matrículas dos filhos na escola. Além disso, passa a ser obrigatório que os candidatos tenham no mínimo quatro anos de residência permanente, enquanto até agora bastava um ano.

“Ser um membro do povo australiano é um privilégio e deve ser conseguido por aqueles que apoiam os seus valores, que respeitam a nossa legislação e querem trabalhar duro, estando integrados e a contribuir para um país melhor”, insistiu o PM.

Recusando que a Austrália se defina pela etnia, cultura ou religião, o governante considerou que a cidadania nacional tem que refletir os valores comuns. “Estas alterações fazem parte de um pacote alargado de reformas. Com isto, estamos a proteger os empregos dos australianos e os valores da Austrália. Está em causa o interesse nacional”, acrescentou.

O ministro australiano para a Imigração Peter Dutton sublinhou, por sua vez, que estas medidas não visam que os cidadãos estrangeiros abandonem a sua cultura, antes garantem o “respeito e o comprometimento com os valores nacionais”.

Sem a possibilidade de se candidatarem à nacionalidade australiana ficam todos aqueles que tentaram passar nos testes mais de três vezes, além das pessoas que contam com antecedentes criminais relacionados com violência doméstica, homicídios, terrorismo ou crime organizado.