Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Eleições antecipadas aprovadas no Reino Unido, Theresa May não participará em debates

FACUNDO ARRIZABALAGA/EPA

A moção apresentada pela primeira-ministra só contou com 14 votos contra. O Parlamento só será dissolvido em maio, mas a campanha para as eleições gerais de 8 de junho já está a avançar

A moção apresentada pela primeira-ministra, Theresa May, para a antecipação das eleições gerais britânicas para 8 de junho foi aprovada esta quarta-feira no Parlamento de Westminster com 522 votos a favor e apenas 13 contra.

Os votos contra vieram de nove deputados trabalhistas, de três independentes e de Alisdair McDonnell, do Partido Social Democrata e Trabalhista (partido nacionalista irlandês).

Apesar de o Parlamento manter-se em funções até princípios de maio, a campanha já está a avançar e o líder liberal democrata Tim Farron já vai intervir num comício no sudoeste de Londres esta quarta-feira.

Theresa May – que solicitou a antecipação das eleições por considerar que é preciso uma maior união política para que sejam levadas a cabo da melhor forma as negociações com Bruxelas sobre os acordos em trono do Brexit – indicou que não irá participar em debates televisivos com os líderes dos restantes partidos.

O líder trabalhista, Jeremy Corbyn considerou que May tomou esta posição “estar com medo” e que “a primeira-ministra fala sobre uma economia forte, mas a verdade é que a maior parte das pessoas estão pior desde que os Conservadores chegaram ao poder há sete anos”.

A primeira-ministra afirmou por seu turno, perante a Câmara dos Comuns, que “nós estamos determinados a trazer a estabilidade ao Reino Unido a longo prazo e esta eleição será sobre liderança e estabilidade”.