Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Polícia anuncia morte de homem que dizia ter assassinado 13 pessoas

O homem que terá morto a sangue-frio um idoso e confessou ter cometido mais 13 homicídios através da rede social Facebook suicidou-se depois de ter sido perseguido pela polícia do estado norte-americano da Pensilvânia.

De acordo com as autoridades o sinal do telemóvel do alegado homicida foi detetado pela última vez no domingo à noite, no condado de Erie, no Estado da Pensilvânia, a mais de 160 quilómetros do local onde teria disparado sobre o idoso.

Esta terça-feira de manhã a polícia de Erie recebeu uma denúncia anónima, tendo encontrado a viatura do suspeito estacionada junto a um restaurante de fast-food.

Os agentes ainda perseguiram o suspeito durante algum tempo mas, ainda de acordo com as autoridades, este parou o carro e disparou sobre si próprio. O óbito foi declarado no local.

O alegado homicida de um idoso em Cleveland era procurado desde segunda-feira em pelo menos quatro Estados norte-americanos.

“Eu matei 13 e neste momento em que estou a falar procuro um 14.º para matar”, afirmou Steve Stephens, de 37 anos, num vídeo que colocou no Facebook.

Noutro vídeo publicado em direto na mesma rede, vê-se o homem a matar, a tiro, Robert Godwin, um homem de 74 anos que passava na rua, afirmando apenas: “Passei-me”.

O chefe da polícia de Cleveland, Calvin Williams disse na segunda-feira, numa conferência de imprensa, que as buscas seriam alargadas aos Estados vizinhos da Pensilvânia, Indiana, Michigan e inclusivamente Nova Iorque, onde o suspeito tinha família.

A polícia, que contou com a ajuda do FBI, procurava o homem em contrarrelógio para evitar que concretizasse as suas ameaças.

As autoridades federais chegaram a ofereceram uma recompensa de 50 mil dólares a quem puder prestar informação para deter o suspeito, a quem pediram que se entreguasse.