Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Facebook diz que homicídio divulgado por utilizador não foi em direto mas gravado

d.t.

No vídeo, Steve Stephens sai do seu carro e parece escolher aleatoriamente Robert Godwin, de 74 anos, que segurava um saco de compras no estado norte-americano do Ohio

O Facebook indicou que o homem suspeito de matar outro a tiro em Cleveland, estado norte-americano do Ohio, divulgou o vídeo do crime na rede social, mas não realizou o ato em direto.

Em comunicado enviado no domingo à noite, a rede social disse que o suspeito, Steve Stephens, de 37 anos, esteve em direito na rede social nesse dia, mas não durante o homicídio.

A polícia tinha dito que Stephens tinha transmitido o crime no Facebook Live, que permite fazer vídeos em direto.
Stephens é acusado de matar Robert Goodwin Sr., de 74 anos. No domingo à noite, a polícia emitiu um mandado de captura por homicídio qualificado.

Stephens terá dito que estava chateado com uma mulher quando matou Goodwin. A polícia encorajou o homem a entregar-se.

No vídeo, Stephens sai do seu carro e parece escolher aleatoriamente Godwin, que segurava um saco de compras. Stephens diz o nome de uma mulher, que Godwin não parece reconhecer.

"Ela é o motivo pelo qual isto te vai acontecer", disse Stephens para Godwin antes de lhe apontar uma arma.

Num outro vídeo, Stephens disse ter matado mais de uma dúzia de pessoas, uma informação que a polícia não confirmou.