Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Agência afegã avança que o Daesh pretendia criar base operacional na região bombardeada

Nangarhar tem sido alvo de ataques regulares

NOORULLAH SHIRZADA/GETTY

A região do este do Afeganistão onde foi lançada esta quinta-feira a MOAB - acrónimo para “mother of all bombs” - tem sido alvo de ataques regulares por parte dos Estados Unidos. Pelo menos 132 pessoas leais ao Daesh foram mortas na província de Nangarhar nos últimos seis dias

O Daesh podia estar a tentar a criar a sua base operacional na região onde os Estados Unidos lançaram esta quinta-feira a MOAB, segundo refere a agência de notícias do Afeganistão Khaam, acrescentando que tanto os militares norte-americanos como as forças afegãs têm efetuado ali ataques regulares.

Pelo menos 132 pessoas leais ao Daesh foram mortas nos últimos seis dias na província de Nangarkar, no âmbito de uma operação em curso contra o grupo jiadista denominada “Hamza”, indicou esta quinta-feira o Ministério da Defesa do Afeganistão. Entre os mortos estará um irmão de Hafiz Saeed, antigo líder de topo do Daesh.

A televisão afegã TOLO referiu por seu turno que 250 militantes do Daesh e sete comandantes talibãs foram mortos na região nos últimos dez dias no âmbito da operação Hamza.

Nangarhar era das províncias relativamente pacificas do leste do Afeganistão, mas grupos armados antigovernamentais têm ao longo dos últimos anos incrementado ali as suas atividades.

Habitantes da região referiram à TOLO que têm sido lançados apelos aos aldeões para que não deixem militantes do Daesh instalarem-se no seu território e para cooperarem com as autoridades afegãs para os fazerem recuar.