Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Putin diz que relações com os EUA pioraram com Trump

Apesar de Vladimir Putin contar com o apoio de Donald Trump, os diferendos entre os dois países em relação a diversas questões regionais e internacionais persiste

Alexei Diuzhinnin/EPA

Presidente russo continua a afirmar que o ataque com gás Sarin na Síria não foi levado a cabo pelo regime de Bashar al-Assad e considera que o relacionamento com Washington piorou com o novo Presidente

Os níveis de confiança entre o regime russo e o norte-americano deterioraram-se desde que Donald Trump assumiu a presidência, afirmou o Presidente Vladimir Putin numa entrevista transmitida esta quarta-feira.

“Podemos dizer que o nível de confiança em termos de trabalho, especialmente em termos militares, não melhorou, em lugar disso deteriorou-se”, afirmou Putin, comentando a chegada de Trump à Casa Branca, num excerto da entrevista transcrito pelo Kremlin.

A questão da guerra da Síria e o ataque efetuado pelos Estados Unidos contra uma base militar das forças de Bashar Al-Assad, em resposta ao ataque com gás sarin contra uma zona controlada pelos rebeldes, é um dos grandes pontos de divergência entre Moscovo e Washington.

Putin continua a recusar que o regime sírio tenha efetuado o ataque com armas químicas.

O Presidente russo disse que tal não será possível, pois a Síria entregou os seus stocks de armas químicas, apresentado duas hipóteses de explicação para o sucedido: que os bombardeamentos aéreos tenham atingido armazéns de armas químicas dos rebeles, libertando o gás; ou que o incidente tenha sido concebido para desacreditar o regime sírio.