Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

François Hollande rompe silêncio e fala sobre campanha: “Cheira mal”

Dan Kitwood/Getty Images

O Presidente francês alerta contra o populismo e o risco da simplificação, mas diz confiar “na inteligência dos franceses”

O Presidente francês quebrou o silêncio e pronunciou-se sobre a campanha para as presidenciais, em que não é candidato. François Hollande fez um alerta contra o populismo e o risco da simplificação.

"Esta campanha cheira mal [...] É superficial", afirmou o presidente socialista numa entrevista ao Le Point a publicar na quinta-feira e de que a imprensa francesa divulga esta quarta-feira alguns excertos.

Segundo a imprensa, Hollande está preocupado com o avanço do candidato da esquerda, Jean-Luc Mélenchon, à custa do candidato socialista, Benoît Hamon, atualmente quinto nas sondagens, com menos de 10% das intenções de voto.

"Há um perigo face às simplificações, face às falsificações, que leva a que vejamos o espetáculo da tribuna em vez do conteúdo dos textos", disse, sem referir qualquer nome.

O Presidente afirmou por outro lado que "a política precisa de renovação", na resposta a uma pergunta sobre o candidato independente, e ex-ministro no governo de Hollande, Emmanuel Macron, considerando que a iniciativa deste de criar um movimento político é "pelo menos audaz".

Hollande absteve-se, contudo, de apelar ao voto num candidato, limitando-se a afirmar que confia "na inteligência dos franceses".

As eleições presidenciais francesas realizam-se em duas voltas, a 23 de abril e a 7 de maio.

Nas sondagens mais recentes, a candidata da extrema-direita, Marine Le Pen, lidera as intenções de voto, seguida de muito perto por Macron, enquanto Mélenchon surge em terceiro e o candidato da direita, François Fillon, em quarto.