Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Epidemia de diarreia matou 28 pessoas em 10 dias na Somalilândia

“Esta epidemia é aterradora, porque a população já está enfraquecida pela seca e a falta de alimentos”, explicou Abdirasaq Ali Duran, responsável da Cruz Vermelha

Uma epidemia de cólera e diarreia aguda matou 28 pessoas em 10 dias na Somalilândia, uma região autoproclamada independente da Somália devastada pela seca, anunciou hoje o Comité Internacional da Cruz Vermelha.

Mais de 411 casos de diarreia aguda, entre os quais casos de cólera, foram diagnosticados desde o início de abril, e 167 obrigaram a hospitalização, segundo um comunicado da organização.

“Esta epidemia é aterradora, porque a população já está enfraquecida pela seca e a falta de alimentos”, explicou Abdirasaq Ali Duran, um responsável da Cruz Vermelha em Buhdole, perto da fronteira com a Etiópia, citado no texto.

A maioria dos doentes são pastores de zonas isoladas, mais atingidas pela seca, segundo o texto, que explica que a seca leva as pessoas a beber água de rios contaminados.

A Somalilândia, antiga Somália britânica, uniu-se com a antiga Somália italiana após a independência, em 1960. Em 1991 autoproclamou-se independente da Somália, mas essa independência não é reconhecida pela comunidade internacional.

A vizinha Puntlândia, região semi-autónoma da Somália, também regista casos de diarreia, 57 dos quais mortais.