Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Assessor de Trump diz que o seu comentário sobre Hitler foi “indesculpável”

Olivier Douliery/EPA

Sean Spicer considera que deixou o Presidente dos Estados Unidos mal visto com o comparação que estabeleceu e procura retratar-se

“Eu fiz um erro. Não há outra forma de o dizer”, afirmou esta quarta-feira o assessor de imprensa da Casa Branca, Sean Spice, um dia depois de ter afirmado que nem Hitler usara armas químicas, “eu entrei num assunto em que não devia e fiz asneira”.

O assessor de Donald Trump fizera a afirmação, procurando condenar o apoio da Rússia ao regime sírio, em sequência do ataque com gás Sarin a uma zona controlada pelos rebeldes, dizendo que nem Hitler descera ao nível de efetuar esse tipo de ataque, esquecendo as sobejamente conhecidas câmaras de gás dos campos de concentração nazis.

Sean Spicer considerou agora que se tratou de uma gaffe “indesculpável”, que deixou “o Presidente o mal visto”

“O trabalho como porta-voz é ajudar a amplificar as ações e feitos do presidente”, acrescentou, considerando que “quando se está a causar distrações relativamente a esses feitos e o nosso trabalho é fazer justamente o oposto, a nível profissional é uma deceção”.

“Eu quero obviamente pedir desculpa às pessoas”, acrescentou.