Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Trump insiste estar pronto para “resolver problema” norte-coreano sem a China

JIM WATSON/GETTY

“A Coreia do Norte está à procura de problemas. Se a China decidir ajudar, será ótimo. Se não, iremos resolver o problema sem eles!”, escreveu o Presidente norte-americano no Twitter, poucos dias após o seu encontro com o homólogo chinês, Xi Jinping

O Presidente norte-americano, Donald Trump reitera estar pronto para "resolver o problema" norte-coreano sem a ajuda da China, poucos dias depois de uma cimeira em solo americano com o seu homólogo chinês Xi Jinping.

"A Coreia do Norte está à procura de problemas. Se a China decidir ajudar, será ótimo. Se não, iremos resolver o problema sem eles! Estados Unidos da América", escreveu esta terça-feira o chefe de Estado norte-americano na sua conta pessoal da rede social Twitter.

Numa outra mensagem, Trump deixou um claro ultimato a Pequim: se a crise da Coreia do Norte não for resolvida, a China não conseguirá um melhor acordo comercial com os Estados Unidos.

"Expliquei ao Presidente da China que um acordo comercial com os Estados Unidos será muito melhor para eles se resolverem o problema da Coreia do Norte", escreveu Donald Trump.

Na semana passada, Trump recebeu num 'resort' em Mar-a-Lago, na Florida, um dos destinos preferidos do Presidente norte-americano, o seu homólogo chinês Xi Jinping. A agenda da cimeira de dois dias - a primeira entre os dois líderes - ficou marcada pelo programa nuclear da Coreia do Norte e por questões do comércio bilateral.

"Realizamos progressos espetaculares na nossa relação com a China", declarou então Donald Trump, no segundo dia da cimeira.

"Penso verdadeiramente que foram feitos progressos", reafirmou na mesma altura o Presidente norte-americano, definindo como "espetacular" a relação Washington-Pequim.

No sábado, o comando do Pacífico norte-americano confirmou que mobilizou o porta-aviões de propulsão nuclear 'Carl Vinson' e o seu grupo de ataque para águas próximas da Coreia do Norte em resposta às mais recentes provocações do regime norte-coreano, que em 05 de abril lançou um míssil de médio alcance para o mar.