Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Situação de seca fraca atinge 20% do território

NICOLAS ASFOURI/GETTY

Em março foi registada uma diminuição da área de seca, tendo terminado esta situação em grande parte das regiões do Centro e do Sul

Portugal continental registou em março uma diminuição da área em situação de seca, estando 20% do território em seca fraca, informou o Instituto Português do mar e da Atmosfera (IPMA), que classificou o mês como "quente".

De acordo com o Boletim Climatológico disponibilizado esta segunda-feira na página do Instituto na internet, no final de março, em relação ao mês de fevereiro, foi registada uma diminuição da área de seca, tendo terminado esta situação em grande parte das regiões do Centro e do Sul.

O IPMA adianta que no final de março, 20% do território encontrava-se em situação de seca fraca, quando em fevereiro a percentagem era de 57,2%.

No boletim é indicado que no final de março 58,5% do território estava em situação de "seca normal" e 21,6% em "chuva fraca".
O IPMA classifica em nove classes o índice meteorológico de seca, que varia entre "chuva extrema" e "seca extrema".

O mês de março, em Portugal continental, classificou-se como normal em relação à quantidade de precipitação e quente em relação à temperatura do ar.

De acordo com o Instituto, o valor médio da temperatura média do ar em março foi de 12,36 graus Celsius, ou seja, acima do normal.
"O valor médio da temperatura máxima (17,89 graus) foi superior ao normal e o valor médio da temperatura mínima (6,38 graus) foi igual ao valor normal. Valores da temperatura máxima do ar superiores ao deste mês [março] ocorreram em cerca de 20% dos anos, desde 1931", indica o IPMA.

Quanto à precipitação, o IPMA indica que o total em março foi de 80,9 milímetros, o que corresponde a cerca de 130% do valor normal.

"Apesar de o valor médio [da precipitação] de março ser próximo do normal, nas regiões Centro e Sul os valores foram superiores ao normal e próximos ou inferiores nas regiões a norte do Mondego. Valores de precipitação superiores aos de março de 2017 ocorreram em cerca de 47% dos anos, desde 1931", é referido.

O Instituto salienta que entre os dias 7 e 10 de março, devido a uma corrente de leste, registaram-se valores muito elevados da temperatura máxima do ar, atingindo-se valores próximos de 30 graus Celsius nas regiões de Braga, Vale do Douro, Beira Litoral, Vale do Tejo e Alto Alentejo (valor mais alto em Mora, com 30,9 graus no dia 9).

Nos dias 9 e 10, segundo o IPMA, os valores da temperatura máxima igualaram ou ultrapassaram os anteriores maiores valores para o mês de março.

O IPMA refere ainda que entre 23 e 27 de março foram registados valores baixos da temperatura mínima do ar (valor mais baixo nas Penhas Douradas com -4,9 graus no dia 23), com precipitação generalizada, por vezes forte e de granizo e ocorrência de trovoadas.

Neste período ocorreu também queda de neve nas terras altas, atingindo quotas baixas de 400 a 500 metros de altitude no interior Norte.