Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Governo português condena ataques a duas igrejas coptas no Egito

Primeiro Ministro e Ministério dos Negócios Estrangeiros condenam ataque já reivindicado pelo Estado Islâmico e que provocou pelo menos 36 mortoes

O primeiro-ministro de Portugal, António Costa, condenou hoje os ataques à bomba em duas igrejas cristãs coptas no Egito, que resultaram em mais de 30 mortos e dezenas de feridos. "Em meu nome e do governo português, condeno aqui os ataques no Egipto e expresso o nosso profundo pesar pelas vítimas", escreveu António Costa na sua conta no Twitter.

Num comunicado, o Ministério dos Negócios Estrangeiros referiu também que "o Governo Português condena firmemente os atentados que hoje causaram a morte a mais de 20 pessoas e feriram pelo menos 70 que se encontravam reunidas para celebrar o Domingo de Ramos nas igrejas coptas de Mar Gigis, em Tanta, e de São Marcos, em Alexandria, no Egito".

As duas explosões em igrejas cristãs no Egipto provocaram esta manhã pelo menos 36 mortos, de acordo com os dados mais recentes avançados pelos media estatais daquele país. A primeira explosão ocorreu às 10h00 locais, perto de uma igreja cristã copta na cidade de Tanta, a cerca de 100 quilómetros a norte do Cairo e causou pelo menos 25 mortos e cerca de 80 feridos.

A segunda aconteceu horas depois numa outra igreja cristã, em Alexandria, onde um bombista suicida terá provocado pelo menos 11 mortos - entre os quais 3 polícias - e 35 feridos.

Os números mais recentes de mortos e feridos já confirmados nestes dois atentados foram avançados pelo Ministro da Saúde egípcio, citado pela Reuters.

Ao início da tarde, o grupo extremista Estado Islâmico (EL) reivindicou os dois atentados. "As equipas do Estado Islâmico realizaram ataques contra duas igrejas em Tanta e em Alexandria", indicou a agência de propaganda do EI, numa comunicação divulgada em redes sociais e citada por agências internacionais de notícias.